Riachuelo eleva vendas e consegue registrar alta de 183% no lucro líquido

Por: Camila Mendonça 2.961 views

Companhia reportou uma alta de 15,7% nas vendas líquidas das lojas no terceiro trimestre, mas endividamento líquido soma mais de R$ 926 milhões

cred: Douglas Luccena / Grupo Padrão

A Guararapes, detentora da Riachuelo, segue com um ritmo forte de crescimento. No terceiro trimestre, a companhia reportou um aumento de 183,2% no lucro líquido da companhia. Ao todo, a empresa fechou com lucro de R$ 50,4 milhões.

O resultado veio com a alta nas vendas líquidas da Riachuelo, que foram 15,7% maiores, considerando todas as lojas da companhia. O resultado líquido das mesmas lojas – aquelas abertas há mais de 12 meses – também foi positivo: a alta foi de 11%.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

A receita líquida total de mercadorias totalizou quase R$ 1,12 bilhão. A margem bruta consolidada de mercadorias manteve seu ritmo de expansão no decorrer do trimestre, atingindo 51,3%.

“No decorrer deste período, a estratégia implementada pela Companhia proporcionou melhorias importantes na operação comercial como um todo, proporcionando um nível de estoque adequado para as operações do grupo”, disse a companhia em relatório.

No período, a empresa abriu seis lojas e fechou o período com 295 lojas. “O processo de expansão reflete o objetivo da Riachuelo de conquistar novos mercados e consolidar suas posições regionais por meio da inauguração e remodelação de unidades”, considerou a empresa.

Despesas

Considerando toda a oepração da Guararapes – as lojas da Riachuelo e a Indústria – a companhia verificou uma alta de 10,7% na receita líquida. Ao todo, a companhia somou R$ 1,5 bilhão.

As despesas operacionais da empresa totalizaram R$ 629,3 milhões no trimestre, 11,3% acima do verificado no mesmo período de 2016. O valor representa 40,8% da receita líquida consolidada da Guararapes.

Os empréstimos e financiamentos da companhia totalizaram R$ 1,6 bilhão em setembro deste ano, dos quais R$ 451,5 milhões correspondem a financiamentos captados junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Com isso, companhia encerrou o terceiro trimestre com endividamento líquido de R$ 926,3 milhões.

Considerando os investimentos, eles totalizaram R$ 149,5 milhões – valor um pouco acima dos R$ 140,9 milhões relativos ao mesmo período de 2016. Desse total, R$ 143,3 milhões (ou 96%) foram destinados à Riachuelo, sendo R$ 32,7 milhões alocados em lojas novas, R$ 25,8 milhões em remodelações e R$ 18,8 milhões para infraestrutura de TI.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.