Vivo inaugura loja sustentável

Entre as ações sustentáveis da empresa estão: descarte adequado de resíduos eletrônicos, redução do consumo de energia e diminuição do uso de papel

vivo

A Vivo acaba de inaugurar uma loja que se destaca no cenário sustentável. Composta pelos padrões LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, a empresa é a primeira operadora no país a seguir os quesitos internacionais de certificação em ponto de venda. O selo é um dos principais reconhecimentos para empresas e projetos de construção civil do mundo.

Se destacando no conceito de inovação sustentável, o espaço de 167m², localizado no Shopping VillaLobos, na capital paulista, atende as categorias da certificação ambiental internacional com o objetivo de atingir o selo Platinum.

“A sustentabilidade faz parte da estratégia de lojas da Vivo, que busca transformar pontos de venda em pontos de experiência, oferecendo espaços cada vez mais relevantes para os consumidores e a sociedade”, ressalta o diretor de Canais da Vivo, Fernando Rheingantz.

Mais sustentável do que nunca

A experiência sustentável dentro da empresa parte por muitos pontos, desde a redução do consumo de energia, até a não utilização de papel e copos descartáveis. De acordo com Rheingantz, “até o final de outubro, nenhuma das lojas da Vivo utilizará mais copos plásticos”.

A empresa também adere ao projeto Paper Less, que busca reduzir o volume de impressões de documentos e por versões digitais em tablets e smartphones.

Para se ter ideia, em 2018 foram assinados 11 milhões de contratos digitais em lojas e unidades administrativas da Vivo – uma economia de 56 milhões de folhas de papel.

Pensando na economia de energia, foram instalados sistema de automação para controle da iluminação, com sensores de presença e de desligamento automático.

A geração de energia também é 100% renovável por meio de sistema fotovoltaico e da contratação de energia verde no mercado livre incentivado.

Equipamentos de ar-condicionado com consumo reduzido de água gelada com sistema de recuperação de energia também foram instalados.  A previsão é que a redução do consumo ultrapasse 28% quando comparada com uma loja tradicional.

Os móveis da nova loja também ganharam madeira certificada FSC, que atesta o manejo correto e adequado às normas ambientais.

Já as paredes foram planejadas para causar o mínimo possível de impactos ao meio ambiente. As tintas usadas possuem baixo ou nenhum índice de Componentes Voláteis Orgânicos (COV) em sua composição.


“A busca pela certificação LEED, selo Platinum, faz parte da estratégia de sustentabilidade da empresa e tem como objetivo aumentar as ações sustentáveis no manual dos pontos de experiência replicando esta iniciativa, o que demonstra a busca da Vivo por um crescimento sustentável”,

Joanes Ribas, executiva de Sustentabilidade da Vivo.


Descarte adequado de resíduos eletrônicos

A empresa ainda possui o programa Recicle com a Vivo, onde a operadora oferece para clientes e não clientes a coleta e destinação correta de celulares, carregadores e baterias sem uso.

Após passar pela arrecadação, os objetos são destinados à reciclagem de acordo com as normas ambientais. Em 2018, a empresa coletou cerca de cinco toneladas de equipamentos – mais de 76 mil itens.

Quem planeja trocar seu smartphone ainda pode optar pelo programa Vivo Renova, que oferece descontos mediante a entrega do aparelho usado.

Em 2018, foram recolhidas cerca de 12,9 toneladas de aparelhos, o equivalente a 84,2 mil itens. Com a ação a Vivo amplia o acesso dos clientes às novas tecnologias e dá ao equipamento usado uma destinação adequada.

Atualmente também é possível comprar um smartphone mais ecológico. Aproximadamente 73% dos aparelhos vendidos nas lojas Vivo possuem o selo Ecorating – avaliação desenvolvida pela ONG Forum for The Future, que analisa mais de 100 critérios socioambientais na produção e destinação dos aparelhos.


LEIA MAIS  

Em nova loja, KitKat permite que consumidores façam seus próprios chocolates

Pagamentos contactless via celular já são realidade de 17% dos consumidores

Inteligência artificial: o varejo como você nunca viu