Fluxo nas lojas físicas cai na maioria dos segmentos em agosto

Levantamento mostra que apenas as categorias Eletrônicos e Óticas registraram aumento no mês na comparação com o ano passado

fluxo nas lojas

Foto: Reprodução / Construtora Bonadia

O fluxo no varejo em agosto cresceu, especialmente nas lojas de eletrônicos. É o que mostra o Índice de Lojas Físicas, levantamento feito pela FX Retail Analytics em parceria com a F360º.

No total, o segmento de eletrônicos cresceu 6,58% e foi o de maior destaque no indicador na comparação anual. No mesmo período, o fluxo nas óticas também foi maior – com variação de 0,74%.

Henrique Carbonell, sócio fundador da F360º, atribui o crescimento na categoria Eletrônicos à multicanalidade que varejistas do segmento desenvolveram.

“A omnicanalidade mais presente em varejistas desse segmento também pode ter ajudado neste aumento com políticas de compre e retire na loja, por exemplo”.

Além disso, o Dia dos Pais mais movimentado foi outro fator decisivo para o resultado.

As demais categorias analisadas registraram queda:

• Chocolateria (-1,77%)
• Calçados (-1,79%)
• Beleza (-2,25%)
• Moda (-2,33%)
• Utilidades Domésticas (-4,69%)

Já no comparativo com julho de 2019, o segmento de Moda registrou a maior variação positiva, com 4,09%.

Também cresceram Eletrônicos (1,74%), Chocolateria (1,24%) e Calçados (0,33%). Já Beleza, Ótica e Utilidades Domésticas caíram, respectivamente, 0,16%, 5,19% e 8,57%.

O crescimento do fluxo em agosto na comparação mensal pode ser explicado pela procura dos consumidores por presentes para o Dia dos Pais.

“Podemos relacionar a alta desses segmentos com os saques das contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que devem dar um novo ânimo ao comércio”, pontua Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).

De acordo com o Ministério da Economia, o valor sacado chegará a R$ 30 bilhões entre agosto e dezembro de 2019.

Para Carbonell, a inteligência analítica, que permitiu que o levantamento fosse feito, garante controle sobre os processos de gestão.

“A partir do acompanhamento dos indicadores de vendas e financeiros, por exemplo, o gestor pode encontrar oportunidades e gargalos em seu negócio e, consequentemente, aumentar ganhos ou reduzir perdas”, explica.

Indicador por região

Na relação entre as regiões, o Centro-Oeste teve o melhor desempenho no fluxo de visitantes na comparação com agosto de 2018: as lojas alcançaram, ao todo, um crescimento de 5,82%.

O Norte e o Nordeste também tiveram números positivos, com 4,47% e 3,21%, respectivamente. Já as lojas do Sudeste e Sul tiveram menos visitantes neste ano, com -3,21% e -4,50%, respectivamente.

Em relação ao mês anterior, o Índice de Lojas Físicas registrou um maior fluxo de visitantes na região Norte, com 4,78%. O Centro-Oeste, com 2,47%, e o Sudeste, com 1,10%, também tiveram altas. Já o Nordeste e Sul tiveram indicadores negativos, com -2,75% e -6,08%, respectivamente.


LEIA MAIS
11 entregas mais malucas da Rappi no Brasil

E-commerce x M-commerce: conheça as ferramentas que estão revolucionando o mercado