Empresas de fidelidade no Brasil faturam R$ 3,7 bilhões

O número de cadastros em programas de fidelidade também aumentou em todo o Brasil, alcançando cerca de 132 milhões no território nacional

Fidelidade

Foi divulgado nesta terça-feira (17),  durante a abertura do 4º Fórum Brasileiro de Fidelização, em São Pauloos indicadores do mercado referentes ao primeiro semestre de 2018, pela Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF). O anúncio foi feito pelo presidente da entidade, Roberto Chade. Os números apontam um aumento de 12,7% no faturamento das empresas associadas à entidade, chegando aos R$ 3,7 bilhões nos seis primeiros meses do ano (1S19).

O  número de cadastros em programas de fidelidade também aumentou em todo o Brasil, alcançando cerca de  132 milhões, ao fim do primeiro semestre de 2018, um crescimento de 9,4% comparado com o ano anterior. “A quantidade de cadastros é apenas um dos indicadores do desenvolvimento desse mercado. Estamos assistindo uma evolução grande com a chegada dos programas a novos mercados, com o aumento de empresas interessadas em serem parceiras, investimentos em tecnologias que melhoram processos de emissão e de resgate de pontos/milhas, assim como a análise de dados que torna os programas mais eficientes e relevantes”, explica Chade.

Os destinos mais resgatados

Fidelidade

 

Durante o semestre foram emitidos 149,7 bilhões de pontos/milhas, o que significa um aumento, de 9,4% sobre o 1S18. O total resgatado subiu 10,8%, passando de 117,0 bilhões no 1S18 para 129,7 bilhões no primeiro semestre deste ano. As passagens aéreas foram o principal destino dos pontos/milhas trocados no semestre.

Ainda segundo o anuncio, 76,7% viraram bilhetes de avião, um percentual ainda maior que o registrado no primeiro semestre de 2018 – os outros 23,3% foram para produtos e outros serviços. A taxa de breakage, que mede a quantidade de pontos/milhas expirados no período caiu 2,3 pontos percentuais no comparativo anual, alcançando 17,3% no 1S19.


LEIA MAIS 

Varejo brasileiro cresce 2,3% em agosto

Varejistas estão confiantes com a primeira edição da Semana do Brasil

H&M suspende compra de couro brasileiro