Marisa cria Canal de Acolhimento para combater violência doméstica

Varejista selou parceria com a Mental Clean para prestar apoio ao público feminino, que representa 80% de sua força de trabalho

Marisa

Foto Unsplash

A rede varejista Marisa decidiu se juntar na luta contra a violência domestica e criou um Canal de Acolhimento à mulher – que hoje representa 80% de sua força de trabalho interna.

A iniciativa foi idealizada pelo Comitê de Combate à Violência Contra a Mulher da Marisa e tem como objetivo prestar apoio para esse público.

“A Marisa é uma empresa que fala diretamente com o público feminino e por isso temos a responsabilidade de criar iniciativas e estar à frente do enfrentamento à violência contra a mulher. Queremos acolher e auxiliar as colaboradoras que estão passando por essa situação e mostrar que elas não estão sozinhas”, afirma Carolina Ferreira, líder do Comitê de Combate à Violência Contra a Mulher da Marisa.

De acordo com a empresa, os colaboradores da rede podem solicitar ajuda através de contato telefônico ou email com a segurança de que terão seus dados mantidos em sigilo.

Marisa

Foto Unsplash

A partir daí é o Comitê quem analisa o caso em parceria com a Mental Clean, uma consultoria focada em Saúde Emocional no trabalho, e que estará lado a lado com a Marisa neste novo projeto.

Em meio a criação do Canal de Acolhimento, a varejista promoveu ainda uma pesquisa interna sobre o assunto. Como resultado percebeu-se que tanto o público feminino quanto masculino tem conhecimento sobre violência doméstica.

Entre os entrevistados, 64% consideram que controlar a roupa usada pela mulher é uma forma de abuso. Já entre as mulheres o percentual foi de 68%.

“A criação do Canal de Acolhimento reforça o cuidado que temos com o bem-estar das nossas colaboradoras e a preocupação com um tema tão urgente. A pesquisa promoveu um levantamento estatístico e, a partir de então, estamos realizando iniciativas de conscientização com os colaboradores da Marisa. Queremos colocar o tema em pauta na política interna da empresa, com a criação de um calendário anual de atividades voltadas para o enfrentamento à violência contra a mulher”, conta Marcelo Pimentel, presidente da Marisa.


+ NOTÍCIAS

Marisa pode fechar 18 lojas de baixo desempenho em 2019
Varejista cria opção “clique e retire” em lojas de São Paulo