Franquias em pequenas cidades: a receita do Bob’s para crescer

Rede de fast food reduziu custo de abertura de franquias e mudou política para entrar em cidades menores, em mercados ainda não alcançados por McDonald’s e Burger King

Bob's

O Bob’s é uma das redes de restaurantes mais conhecidas do Brasil. No segmento de fast food, a empresa brasileira está cercada de gigantes estrangeiros que já atuam há um bom tempo e entenderam as particularidades deste mercado.

Quando o assunto é capilaridade, o Bob’s lidera no Brasil. O McDonald’s tem pouco mais de 900 lojas e o Burger King está na faixa de 700 restaurantes, enquanto a rede brasileira tem 1.050 pontos de venda. Mas o Bob’s não está satisfeito. O objetivo é chegar ao fim de 2019 com 1.150 lojas. Até agora, já foram abertas 40 lojas. O diretor de desenvolvimento do Bob’s, Marcelo Tristão, está confiante no alcance da meta: “O segundo semestre é historicamente o período com mais investimentos. É quando o franqueado se capitaliza”.

OS NÚMEROS DAS GIGANTES DE FAST FOOD

BURGUER KING: 700 lojas no Brasil

MCDONALD’S: 900 lojas no Brasil

BOB’S: 1050 lojas no BRASIL

Entrada em mercados menores

É justamente o franqueado o principal pilar da estratégia de expansão da dona do Big Bob. Apesar de um investimento alto em lojas próprias em quatro shopping centers de São Paulo – Center 3, Mooca Plaza, Eldorado e Metrô Santa Cruz –, a marca quer que os franqueados puxem a expansão da rede em cidades menores.

Recentemente, o Bob’s fez alterações importantes nas regras para abertura de franquias e no custo para isto. Antes, para uma cidade ser considerada habilitada a receber uma loja da marca eram necessários 250 mil habitantes. Agora, a empresa afrouxou as regras para entrar em cidades menores, mercados não explorados por McDonald’s e Burger King. Na nova política, as cidades com 100 mil habitantes podem receber os restaurantes.

Já o custo total para ser um franqueado caiu 15%. Segundo a empresa, a redução se deu pela negociação de preço com vários fornecedores da empresa.

Tristão conta que é frequente que prefeituras e associações de lojistas dos municípios procurem a empresa para apoiar a marca no processo de abertura de franquias nas cidades. “A gente abre em uma cidade e os prefeitos de cidades próximas nos procuram. O que nós precisamos é do casamento de um bom ponto comercial com um bom operador”, explica.

Para o diretor de desenvolvimento do Bob’s, os hábitos de consumo em cidades menores estão mudando. Ele usa como exemplo o horário de funcionamento dos restaurantes, que foi estendido para além da hora do jantar, para explicar que a alimentação fora do lar em municípios pequenos vem crescendo.

Bob's

Foto: Divulgação

Para Tristão, três características das cidades com pouco mais de 100 mil habitantes atraem o olhar do Bob’s:

Custo

O preço dos imóveis e custo de locação são substancialmente mais baixos em cidades que ficam no interior dos estados se comparados com os custos em grandes centros.

Turnover de funcionários

Encontrar mão de obra em cidades menores é mais fácil para o Bob’s, segundo Tristão. Ele ainda avalia que a retenção dos colaboradores é maior, ainda que a empresa invista a mesma quantidade de tempo e dinheiro em treinamento para novos funcionários de capitais e cidades do interior.

Participação dos franqueados

Como os empresários fazem parte de uma comunidade menor, eles têm proximidade com o público que é preciosa para a rede, que ouve feedbacks assertivos sobre as operações no interior.

Concorrência

Nem só de McDonald’s e Burger King é composta a concorrência do Bob’s. Tristão cita como uma das preocupações a “onda de hamburguerias gourmet e restaurantes que incluem hambúrgueres no cardápio ainda que aquela não seja a especialidade da casa”

O executivo, porém, enxerga com otimismo a entrada de outros players no setor. “Quando a gente vê que os concorrentes também crescem, percebemos que o mercado, como um todo, vem crescendo”, avalia.

A respeito da rede dos arcos amarelos Tristão diz que sua empresa sempre soube lidar com a concorrência da norte-americana. Ele destaca que em algumas regiões o Bob’s consegue superar o McDonald’s e a importância da estratégia de franchising da brasileira: “Nossos competidores não têm um modelo de franquias como o nosso. No franchising, nossa competição é com outros setores”.

Aplicativo

As duas apostas do Bob’s, franquias e entrada em cidades pequenas – se alia à estratégia de transformação digital da companhia. Já é possível fazer pedidos via aplicativo e retirar na loja ou usar a funcionalidade para evitar as filas mesmo quando o cliente já está na loja, pedir para entregar os lanches em casa ou no trabalho e aproveitar os benefícios do programa de fidelidade: o Bob’s Fã.

Os jovens adultos representam o público que mais utiliza a solução. A adesão é diretamente proporcional ao IDH dos municípios – quanto maior o índice, mais as pessoas usam o aplicativo. Nem todas as lojas operam integradas à solução. A integração ao app depende de cada franqueado, mas esta é mais uma arma do Bob’s para atrair investidores.

É combinando um modelo de franquias sólido, uma estratégia de expansão focada em pequenas cidades com o apoio das funcionalidades do aplicativo que o Bob’s espera abrir outros 60 restaurantes até o fim deste ano.

Saiu no Whow!
Experiência no varejo: como a inovação pode aprimorar o setor?

Bob's