Varejo apresenta crescimento de 2,2% no primeiro semestre

Os dados foram cedidos pela Cielo. O ICVA é um índice desenvolvido pela empresa e acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro

Apesar do vaivém econômico, o varejo apresentou melhoria no primeiro trimestre desse ano. Em junho, o setor cresceu 2% de acordo com o ICVA (Índice Cielo do Varejo Ampliado). O centro de inteligência da empresa financeira acompanha mensalmente a evolução do varejo nacional e os dados levam em conta as vendas realizadas em 18 setores.

O índice é dividido pelo ICVA Nominal e o ICVA Deflacionado, o primeiro indica o crescimento de receita nominal ampliado no período, reflete a visão literal do varejista; já o segundo conta com o desconto da inflação. O deflator utilizado é calculado a partir do Índice de Preços ao Consumidor Amplo, que é apurado pelo IBGE.

LEIA MAIS: Varejo paulistano tem desaceleração no primeiro semestre, com crescimento de 1,6%

Com o desconto da inflação, as vendas cresceram 2,0% em junho. Isso em comparação ao mesmo período do ano passado, que contou com os jogos da Copa do Mundo e greves nacionais. Já no índice nominal, o crescimento foi de 5,4%. Dados que enchem os olhos dos varejistas.

O primeiro semestre apresentou um crescimento de 2,2% no ICVA deflacionado, em termos nominais, o crescimento foi de 6,3%.

Varejo-1

Varejo

Um amável Dia dos Namorados para o varejo

No que diz respeito à uma das principais datas comerciais do ano, que acontece em junho, o Dia dos Namorados teve uma alta nominal de 8,8%. Já no segmento de presentes, o crescimento mais relevante veio do ramo de óticas e joalherias (5,4%).

Segundo a Cielo, ao ponderar o IPCA por cada setor e pesos do ICVA, a inflação do varejo ampliado em junho ficou em 3,4% com desaceleração em relação a maio (4,5%).

Crescimento do varejo por setor e região

Em comparação a junho do ano passado, os três setores analisados apresentaram crescimento. O setor de serviços foi influenciado pelos setores de Alimentação em bares e restaurantes e automotivo, enquanto Turismo e transporte foi um setor com índices negativos. Drogarias, farmácias e supermercados tiveram crescimento considerável.

Sudeste, sul e centro-oeste apresentaram aceleração no que se refere ao período mensal. No ICVA Deflacionado com ajuste de calendário, Norte e Nordeste apresentaram leve queda. Já no mesmo índice sem ajustes de calendário, a região Sul apresentou alta de 4,6%, seguida pelas regiões Norte e Centro-oeste com 3,4% e 2,7% respectivamente. A região Nordeste ficou a frente do Sudeste com 1,8% e o segundo com 0,8%.

No ICVA nominal, sem descontos da inflação, os primeiros lugares ficaram com as regiões Sul e Norte, com crescimento de 6,9% e 62%, respectivamente.