Varejistas denunciam “vantagem injusta” do AliExpress

Organizações holandesas publicaram relatório que diz que as lojas não europeias, como AliExpress, não estão em conformidade com os regulamentos locais

AliExpress

Crédito: Shutterstock

Duas organizações holandesas de varejo publicaram um relatório que afirma que as lojas não europeias, como a AliExpress, não estão em conformidade com regulamentos locais. Segundo as instituições, há concorrência desleal, principalmente nas lojas virtuais chinesas.

As organizações estão particularmente preocupadas com a segurança e a qualidade das mercadorias vendidas em lojas virtuais não europeias. Muitas vezes, faltam rótulos de qualidade, os brinquedos tendem a conter substâncias proibidas e os aparelhos elétricos nem sempre cumprem as normas europeias de segurança.

“Existem inúmeros exemplos de comerciantes estrangeiros que não respeitam os regulamentos europeus sobre segurança e qualidade dos produtos ou a proteção dos consumidores holandeses”, relata Margriet Keijzer, da Detailhandel Nederland.

Inadequação

O AliExpress também usa condições de vendas que não estão em conformidade com os regulamentos europeus. Várias organizações europeias de consumidores já protestaram contra, como a Dutch Consumer Alliance e a Test-Aankoop.

As organizações ainda reforçam que as lojas virtuais estrangeiras também não pagam nenhuma despesa pela reciclagem de resíduos.

LEIA TAMBÉM
AliExpress vai reduzir pela metade o tempo de entrega no Brasil