5 dicas para alavancar suas vendas investindo em SEO

Especialista em SEO fala sobre a importância de investir na otimização para mecanismos de busca e resultados que sua startup obteve auxiliando os varejistas

SEO

Crédito: Pexels

O que é SEO? A resposta mais simples é: a sigla para Search Engine Optimization, ou Otimização para Mecanismos de Busca, em português. Mas, na prática, o SEO é um dos fatores que determinam o sucesso de um e-commerce ou marketplace.

Os buscadores, como o Google, utilizam algoritmos para determinar qual resultado é o mais relevante para o usuário no momento em que ele busca por uma geladeira branca de 375 litros, por exemplo.

Por isso, entender como funciona a ferramenta do Google e outros buscadores e conhecer as melhores práticas que levarão sua loja virtual a aparecer na primeira página de resultados são fatores que certamente têm o potencial de alavancar as vendas em pequenos e grandes e-commerces.

João Lee, cofundador da startup brasileira Simplex Analytics, que ajuda varejistas a otimizarem seus resultados nos mecanismos de busca, explica que o princípio para ter um bom resultado é entender o comportamento do consumidor na internet.

“As páginas passaram a chamar os refrigeradores de geladeiras e os smartphones de celulares, é necessário entender e antecipar como as pessoas vão buscar por aquele produto”, diz o especialista em SEO.

A startup de Lee alcançou faturamento anual de R$2,5 milhões – com projeção de R$4,5 milhões para este ano – ajudando varejistas com o SEO.

A Simplex Analytics já atuava como consultoria na área e agora desenvolveu um programa, o SimpleDX, que automatiza as melhores práticas de SEO e é capaz de criar páginas automaticamente com a melhor experiência para o usuário.

Segundo Lee, o tempo de navegação nas páginas criadas pelo sistema mais que dobra por causa da assertividade – o cliente consegue encontrar rapidamente o que procura, e, portanto, fica mais tempo navegando no site.

A startup ainda afirma que a solução consegue entregar ao varejista taxa de conversão três vezes maior em comparação a um site comum.

Em entrevista à NOVAREJO, João Lee explicou como funciona o SEO e porque é tão importante investir nisto. O especialista deu cinco dicas para os varejistas alavancarem suas vendas investindo em SEO; confira:

NOVAREJO: Como é medida a pontuação do SEO? O que determina que aquela página vai aparecer em primeiro lugar no buscador?
João Lee: O Google tem um algoritmo extremamente complexo que balanceia um excelente resultado e um resultado que faça sentido para o mecanismo em termos de SEO. Esse algoritmo muda mais de 200 vezes por ano. O que a gente tenta fazer é entender os fatores que mais geram efeito. O Google publica quais são as melhores práticas. Existe uma ferramenta do Google – Page Speed Insights – que ajuda a medir quão rápido é meu site. Não é uma ciência exata, não posso garantir que vou fazer A,B ou C e vai ter resultados.

NV: Quando a gente fala sobre um buscador como o Google – excluindo os anúncios – o SEO é o único fator que será levado em conta para posicionar uma página no resultado da pesquisa?
JL: O que temos que ter em mente é que o SEO é um conjunto de técnicas. Vou dar dois exemplos:

1. Velocidade do meu site
O Google prioriza sites mais rápidos. Se em uma hora eu acesso 60 sites lentos, em sites rápidos eu consigo acessar 70 páginas. Se eu tenho sites sobre carros rápidos falando sobre um Fiat Uno Amarelo e outro que também fala sobre esse modelo, mas é mais lento, o Google vai priorizar o site mais rápido, vai botar lá na primeira página. A velocidade é medida principalmente levando em conta a experiência no mobile.

2. Conteúdo
Ninguém fala que quer um refrigerador, e sim uma geladeira. As páginas passaram a chamar os refrigeradores de geladeiras e os smartphones de celulares. É necessário entender e antecipar como as pessoas vão buscar por aquele produto.

NV: Quais as particularidades do e-commerce em relação a um blog, por exemplo?
JL: Os conceitos gerais são os mesmos, mas o e-commerce tem sim suas particularidades. A primeira delas é a questão do preço, que deve estar sempre atualizado. Preciso ter uma tecnologia que garanta que isso vai estar sempre atualizado. Às vezes muda ao longo do dia várias vezes e acontece de clicar num produto e quando vou para o carrinho ter outro preço. Isso para o SEO é ruim porque aumenta a rejeição da página.

O segundo ponto é a forma como eu me refiro aos produtos. Quase 30% das pesquisas do Google têm mais de quatro palavras. Tenho que entender qual é meu público e, a partir desse perfil, entender como eles buscam. Posso me referir a uma geladeira não só pelas caraterísticas técnicas, mas como uma geladeira branca barata, em promoção ou com melhor preço.

NV: Existe algo como um SEO geral do site? Um fator que faça com que aquele site tenha prioridade, ou tudo depende de como foi feita aquela página específica?
JL: Na teoria tudo depende de como aquela página foi feita e como seus concorrentes se comportam. O Google tem indicadores, mas o mercado utiliza ferramentas de terceiros que te dão uma nota. Internamente o Google faz isso, mas é difícil acessar a informação.

SEO

Foto Unsplash

NV: Quais dicas você daria para os varejistas posicionarem de maneira mais eficiente seus sites nos buscadores?
JL: 1. Se colocar no lugar do cliente
Pensar em experiência e comportamento. Primeiro passo é um site rápido. É importante para o Google, mas é mais importante para o usuário. Ele quer um site com uma performance boa, isso é importante para o usuário, não só para o SEO.

2. Privilegiar a experiencia no mobile
Trabalho há sete anos no mercado e vejo uma transformação. Hoje, em média, 55% dos acessos são via dispositivos móveis, antes era 20%. Então dar preferência ao mobile é necessário.

3. Antecipar a busca
Eu busco por geladeira, não busco por eletrodomésticos. A pessoa tem que antecipar e ver como vai colocar isso na prática. Parece simples, mas é difícil fazer isso na prática

4. Ter um texto vendedor
Tenho que entender que o usuário vai entrar no Google e vai buscar o que ele quer. Quando estou loja física eu consigo falar que é o melhor preço, que está em promoção, no e-commerce não, então preciso ter um texto que venda para o cliente

5. Prever e acompanhar o comportamento
Existem ferramentas que dão score ao seu site, como o Google Search Console, que fornece mais ou menos sua posição média. Ele começa a mostrar a você o que está funcionando melhor. Com isso você consegue analisar e entender o que precisa fazer. O trabalho não é estático, vai mudando todo o dia.

NV: E como a Simplex Analytics ajuda as empresas a otimizar seus resultados nos mecanismos de busca?
JL: Atuamos em duas frentes. A primeira é consultoria, aplicando as melhores práticas. Temos centenas de melhores práticas e temos um histórico grande da companhia. Um dos sócios (Florian Bessonat) trabalhou no Yahoo e hoje é professor da Universidade de Genebra (do curso de e-commerce e SEO). A gente se adapta cliente a cliente.

Outra frente é agora a de produto. Conseguimos automatizar pontos dessas melhores práticas. Criamos a plataforma SimpleDX. Essa ferramenta começa a escutar o cliente – a forma como ele chega no meu site, a forma que ele busca no meu site e coloca isso num processo de triagem e começa a escolher quais são as melhores palavras. Esse sistema quebra uma barreira de tecnologia. As páginas que são geradas por esse sistema têm em média três vezes mais conversão do que uma página comum, passa de 0,8 no normal a cada 1.000 visitas e com o sistema são 7 vendas a cada 1.000 acessos. Nessa construção coloco nessa página exatamente o que o usuário buscou. Eu começo a dialogar com meu cliente.

NV: Como convencer o varejista da importância de investir em SEO e não apenas em anúncios?
JL: Tem duas formas. A primeira se refere ao SEO como grande tema: é importante usando minha ferramenta (da Simplex Analytics) ou não. Porque se a gente comparar ele com a mídia paga é um investimento que depende do dinheiro –  quando eu não tiver caixa não tenho fluxo no site. No SEO, o investimento fica para sempre. Vou consolidando o volume de visita e vou entregando mais páginas. SEO depende de conteúdo e performance. Trabalho de SEO é um trabalho também que garante a melhor experiência do usuário. Estou trabalhando para a melhor experiência do meu cliente.

A segunda forma de convencer o varejista é falando sobre o meu produto. Trabalhamos com modelos comerciais flexíveis. Posso trabalhar com um valor negociado ou compartilho o risco da ferramenta com o meu cliente. Eu falo que vou implementar e você vai pagar uma comissão de venda. Eu confio tanto na ferramenta que posso fazer isso.

LEIA TAMBÉM: 9 práticas para impulsionar seus negócios