Walmart fecha marketplace no Brasil para focar na reestruturação de suas lojas físicas

Três mil lojistas vendiam produtos no site. Walmart dá passo atrás para estruturar operação e integrar o online às 400 lojas que tem no Brasil

Crédito: Shutterstock

Nesta sexta-feira (10) o Walmart Brasil decidiu fechar seu markeplace e, assim, sair do online no País. A rede justificou a ação citando o desempenho fraco da operação. Agora, a empresa foca na reestruturação de suas 400 lojas no Brasil.

Aviso no site do Walmart publicado nesta sexta (10) / Reprodução

A ideia da empresa é preparar um e-commerce mais sólido e integrá-lo às lojas físicas. Em 2017, o Walmart fechou a loja virtual que vendia produtos próprios. A varejista contava com uma equipe de 90 pessoas para manter o endereço Walmart.com.br.  De acordo com o jornal O Estado de S.Paulo, 70 trabalhadores foram demitidos por causa do fim do site. Três mil lojistas vendiam seus produtos no marketplace.

Foco no físico

As 400 lojas que o Walmart mantém no Brasil passarão por um processo de reestruturação patrocinado por R$ 1,9 bilhão do fundo norte-americano Advent, que comprou 80% da operação no Brasil na metade do ano passado. A empresa pretende fazer esse investimento até o fim de 2021.

A reestruturação começa pelo Atacarejo. A companhia disse que 43 lojas da marca Maxxi Atacado serão reformadas e 10 unidades de hipermercados serão convertidas em Maxxi até o fim deste ano. A participação do Maxxi nas vendas do grupo (15%) ainda é pequena quando comparada aos concorrentes: o Atacadão é responsável por 67% das vendas do grupo Carrefour e o Assaí tem participação de 46% nas vendas do GPA.

As marcas Sam’s Club e Bompreço também serão ampliadas. Hipermercados do Walmart receberão as bandeiras do clube de compras e do hipermercado presente em todos os estados do Nordeste.