Cielo cobra “transparência” no setor de maquininhas

Após movimento de derrubada das taxas de antecipação, a Cielo se pronunciou propondo ações para regular o setor de adquirência, que fornece maquininhas para cartão

Depois de reduzir o prazo de antecipação de recebíveis para dois dias, a Rede, que pertence ao Itaú Unibanco, anunciou que o serviço passará a ser gratuito para clientes da Rede que têm domicílio bancário no Itaú e faturam até R$ 30 milhões por ano nas maquininhas. Dias depois, a PagSeguro, que pertence ao Grupo UOL, também anunciou taxa zero nesse serviço.

Loja da Cielo em Salvador. Empresa pede transparência depois de concorrentes derrubarem taxas de antecipação (cred: divulgação)

O anúncio causou reações no mercado. A Cielo cobrou “transparência” no segmento de adquirência e passa a defender a criação de um indicador do custo efetivo praticado pela indústria das maquininhas, algo semelhante ao que foi feito na regulação de crédito no setor bancário.

Ao anunciar a redução do prazo de antecipação de recebíveis, a Rede recebeu críticas do segmento de fintechs, que alegava práticas predatórias por parte do concorrente para tirar players do mercado que não são capazes de engolir redução de receitas para baratear o serviço de adquirência. A alegação é de que a Rede estaria usando o poder econômico do Itaú para engolir prejuízos e tirar concorrentes do mercado.

Marcos Magalhães, diretor-presidente da Rede, não nega o fato de que a ação da Rede vai impactar a receita da empresa. “Sim, estamos abrindo mão de parte da receita que tínhamos na antecipação de recebíveis, visando a fortalecer o relacionamento com os clientes que já são da casa e a conquistar a preferência de outros varejistas”, declarou.

Condições

Os clientes Rede que faturam até R$ 10 mil por mês e têm domicílio no Itaú terão taxa de desconto de 3,49% nas transações de crédito à vista. Para antecipação de recebíveis para dois dias no parcelado sem juros, a taxa de antecipação que incidirá sobre cada parcela será de 1,99%, “valor, pelo menos, 30% abaixo da média praticada pelo mercado”, garantiu a Rede em comunicado.

“O custo total com que comerciantes arcam no mercado para receber esses recursos adiantados é de até 7,1% (antecipação + taxa de desconto que incide sobre cada transação), em casos de faturamento mensal até R$ 10 mil. Com a condição que estamos oferecendo, o lojista terá uma redução de mais da metade dos seus custos”, ressalta Magalhães.