Walmart vai fabricar tablets e entrar em mercado já consolidado

Gigante varejista aposta em setor em queda, amplamente dominado por Apple, Samsung e Amazon. Walmart não deu detalhes sobre o aparelho

Crédito: Shutterstock

O Walmart decidiu – mais uma vez – bater de frente com Amazon e Apple. A empresa está fabricando seu próprio tablet para rivalizar com o iPad e a linha Fire da Amazon, que abriga a assistente virtual Alexa. O Walmart apresentou um pedido de autorização para a venda do tablet para o órgão regulador da área (Federal Communications Commision).

A empresa não se comunicou oficialmente sobre o assunto, mas um porta-voz confirmou à CNBC que o equipamento está sendo desenvolvido. O produto será vendido sob a marca ONN, que pertence ao Walmart. A notícia sobre o desenvolvimento do aparelho foi publicada pela Bloomberg.

Segundo a Bloomberg, o Walmart disse a seus fornecedores que está concentrando sua atenção na oferta de produtos para casa e eletrônicos, depois de ter investido na reformulação do varejo de moda em 2018. Uma empresa chinesa fabricará o tablet do Walmart, que rodará o sistema Android, do Google.

Mercado Maduro

O movimento acontece quando o mercado de tablets desacelerou no mundo tudo. Até novembro do ano passado, a produção dos aparelhos acumulou dezesseis quedas seguidas. No terceiro trimestre de 2018 foram fabricadas 36,4 milhões de unidades. No mesmo período de 2017, a produção foi de 39,9 milhões de tablets, 8,6% a mais que o volume que fora produzido no ano seguinte.

Infográfico: Arte / Grupo Padrão

O produto do Walmart deve se diferenciar dos já consolidados iPads, Amazon Fire e dispositivos da Samsung. Do contrário, a aposta da gigante varejista é ainda mais ousada do que parece, como avaliam especialistas. Mark Ryski, CEO e fundador da HeadCount Corporation – especialista em análise de tráfego e conversão de vendas -, avalia em post no portal Retail Wire: “é um movimento natural, mas não há nada de novo nisso. O mercado de tablets já está consolidado e essa novidade não vai fazer diferença para a Amazon e outros players do setor”.