Como promover a transformação digital sob a ótica do Alibaba

Entender de que forma o marketplace asiático opera e utiliza a nuvem para fomentar a inovação traz lições preciosas para as empresas brasileiras. Confira

Maxine Zhou, User Interface Design, do Alibaba Cloud, durante SXSW 2019

A expansão do Alibaba é um estudo de caso com vários desdobramentos. Um deles diz respeito ao desenvolvimento de sua infraestrutura. No SXSW, um painel enfocou o trabalho do Alibaba Cloud e como sua capacidade está colaborando para a criação de muitos avanços tecnológicos atuais da área de saúde, finanças, manufatura e cidades inteligentes. Mas o sucesso dessa infraestrutura impressionante depende de um design de alto nível, elemento crucial para vislumbrar se uma tecnologia será adotada em nossas vidas ou se seguirá o caminho do Google Glass. Luping Wang, diretora de design e Maxine Zhou, User Interface Design, do Alibaba Cloud destacaram produtos e plataformas que são visualmente impressionantes e totalmente funcionais para a geração digital global do século XXI.

Por que Transformação Digital?
O Alibaba acredita que os homens são indivíduos únicos e precisam ser tratados dessa forma, distintamente e personalizadamente. Mas a transformação digital não é apenas um processo. É uma ideia que pode ser melhorada com o design digital, que deve empregar elementos artísticos e tecnologia para criar ambientes nos quais a fluidez digital possa acontecer sem barreiras. Um bom exemplo dessa metodologia está na forma pela qual objetos simples são as bases para a criação de interfaces e dispositivos reconhecíveis, familiares para nós. Um círculo em rotação pode ser a inspiração para um ábaco, um computador ou um assistente de voz.

Para difundir esses princípios, o Alibaba criou a Cloud computing Conference, onde os princípios do design aplicados à Transformação digital são debatidos e diversas experiências são testadas para criar soluções de grande impacto intuitivo e capazes de tornar reais intrincados modelos de negócio. A ideia é lançar luzes para o futuro, a partir de projetos de notável sofisticação que se consolidam em produtos tangíveis.

Um dos projetos mais recentes englobam projetos de branding baseados em Realidade Estendida que trazem novas possibilidades para a jornada do cliente em ambientes digitais. As designers do Alibaba mostraram projetos de incrível beleza gráfica, cenários espetaculares em interfaces de Realidades Aumentadas e Virtuais, com múltiplas aplicações para o varejo.

O tangível e o virtual
O design virtual utiliza dados, algoritmos, modelos para criar concepções de tecnologia de grande impacto. Dessa forma, é possível fazer soluções de nuvem “rodarem” e reproduzirem cenários reais com detalhamento minucioso. Todos os elementos geográficos possíveis são mapeados em um mapa, por exemplo. Depois, o máximo de elementos não-geográficos é adicionada. Quando acessamos um mapa e vemos a rapidez com que a imagem é carregada “enxergamos o cenário que temos em mente”, mas estamos na verdade vendo um simulacros de realidade, previsto em cada detalhe, mas não realça de fato. Um exemplo incrível foi o do aeroporto internacional da China em um dashboard, no qual é possível decolagens, pousos, pessoas. Se deslocando como em um filme, mas na verdade vemos uma representação gráfica.

Não por acaso, a cloud do Alibaba já consegue suportar mais de 3 bilhões de usuários simultaneamente, rodando cenários, desenvolvendo aplicativos, transações, buscas, projetos e muito mais. É o design em benefício de todos por meio de uma racional distribuição de recursos compartilhados na nuvem.

Aplicações
São as soluções na nuvem do Alibaba que ajudam a prover recursos para pequenos agricultores, empreendedores e até mesmo para manter cidades mais seguras. É impressionante verificar a rapidez da evolução do design de tecnologia chinês. A ascensão do Alibaba, seu marketplace, o poder de sua base de dados, o alcance do Alipay e a consistência operacional estão baseadas em tecnologia de altíssima disponibilidade e confiabilidade, construída com base em em metodologias avanças de design digital. Tudo isso em menos de 20 anos. Uma cultura digital criada e implementada para suportar negócios globais.