Ofertas geolocalizadas são o futuro do marketing de varejo?

As empresas estão, cada vez mais, estudando o comportamento de seus consumidores no mundo offline para entender seus hábitos e oferecer a melhor experiência de compra, seja na loja física ou online, além de manter esses clientes fidelizados

Shutterstock

Por Tiago Santos, Executivo de Retail da In Loco

Provavelmente, muitas pessoas já vivenciaram a experiência de chegar em casa, depois de um cansativo dia de trabalho, abrir a geladeira e não ter nada para comer. De repente, a pessoa está navegando no celular e recebe uma oferta de um restaurante que adora, próximo de sua residência e com desconto. Isso não é conveniente? Pois isso já é uma realidade no mercado brasileiro.

As empresas estão, cada vez mais, estudando o comportamento de seus consumidores no mundo offline para entender seus hábitos e oferecer a melhor experiência de compra, seja na loja física ou online, além de manter esses clientes fidelizados. Mas como isso acontece? A resposta é simples: dados de geolocalização.

Hoje em dia, os dados de localização são coletados diariamente, de diferentes formas, para ajudar empresas a oferecerem produtos mais personalizados e os consumidores receberem apenas ofertas que realmente os interessa, mas a próxima pergunta deve ser e a privacidade das pessoas?

É muito simples. Assim que uma pessoa liga o smartphone, o sistema operacional, a operadora, as redes sociais, os aplicativos, coletam dados sobre ele. Ter dados coletados não é uma coisa ruim, desde que o consumidor tenha consentido com a coleta das informações, saiba para que são utilizadas e que elas sejam armazenadas de forma segura e criptografada.

Quando dados são usados de forma correta eles podem aliar privacidade, conveniência e economia. Além disso, existem formas de coletar dados e não identificar os indivíduos, mas sim os hábitos de consumo deles, dado suficiente para oferecer produtos personalizados.

Dito isso, as ofertas geolocalizadas são mesmo o futuro? Sim! Uma pesquisa da Epsilon Research indica que 80% dos consumidores estão mais propensos a fazer negócios com empresas que entregam experiências personalizadas. Para oferecer serviços personalizados é preciso saber o comportamento do consumidor, ou seja, os bairros que costuma frequentar, os shoppings, restaurantes e, assim, fornecer serviços e produtos bem direcionados.

Imagine um consumidor que está desembarcando em um aeroporto tarde da noite e precisa ir para casa ou hotel. Neste exato momento, ele recebe uma oferta de desconto de um aplicativo de transporte. Isso não faz toda a diferença para ele? De certa forma, essa pequena ação fideliza o cliente a marca.

São ações como as descritas acima que estão levando as empresas a personalizar ofertas e entregar o que os consumidores realmente têm identificação e precisam. A utilização de dados de localização não são mais um diferencial e sim um caminho inevitável para a sobrevivência de um negócio, atualmente. Segmentar as ações de marketing digital pela localização é uma forma de garantir que o público-alvo, realmente, conheça as ofertas daquela empresa não só mundo online, mas na versão física também e assim conquistar a preferência do cliente.