E-commerce do Walmart vai ameaçar domínio da Amazon, diz analista

Comércio eletrônico do Walmart teve o dobro de crescimento na comparação com a Amazon, mas varejista de Bezos ainda tem ampla vantagem e domina o e-commerce norte-americano

Crédito: Shutterstock

“O Walmart se tornará o pior pesadelo da Amazon“. O analista Burt Flickinger, diretor do Strategic Resource Group, foi bem incisivo ao afirmar, em entrevista à CNBC, que a gigante supermercadista vai liderar o varejo online em um futuro bem próximo, mais especificamente em até dois anos. E a razão para isso é mais simples do que se imagina: o Walmart estaria contratando as pessoas certas, de acordo com o analista.

O caminho do sucesso, segundo Flickinger, foi estabelecido após a contratação de uma equipe que trabalhou na Amazon. O analista cita dois profissionais-chave para a estratégia do Walmart: Marc Lore, que trabalhou na empresa de Jeff Bezos antes de assumir a gerência de todas as operações de e-commerce do Walmart; e David Criscione, que desenvolveu o formato “Amazon Go“, antes de sair da Amazon, em 2016.

Briga digital

A declaração vai além da tradicional discussão sobre a eficiência do online versus presença física. Em 2018, o Walmart conseguiu provar que a integração entre os canais pode alavancar um negócio. A aposta em soluções que conectam o online com o físico foram essenciais para o crescimento de valor de mercado da companhia: 50% em dois anos, chegando a US$ 290 bilhões.

No geral, as vendas da rede renderam US$ 519 bilhões em 2018. O e-commerce foi o grande destaque do ano passado. As vendas no online cresceram 43%, premiando os investimentos feitos pela empresa para crescer e se aproximar da Amazon, que hoje domina com folga o e-commerce norte-americano.

Em 2018, o Walmart investiu US$ 20 bilhões de dólares em mais de 12 lojas online e assumiu a terceira posição no ranking das maiores varejistas online dos Estados Unidos, ultrapassando a Apple. No último ano, o Walmart comprou a gigante do e-commerce indiana Flipkart por US$ 16 bilhões. Com isso, a varejista se impôs em um mercado importante para Amazon, que planejava investimentos na Índia e também tinha interesse na aquisição da Flipkart.

Apesar do crescimento robusto do Walmart no online em 2018, superar a Amazon é uma realidade ainda muito distante. A gigante do e-commerce domina 48% de todas as vendas feitas pela internet nos Estados Unidos, segundo relatório do eMarketer, enquanto a participação do Walmart no mercado online é de apenas 4%. Em 2018, as vendas da Amazon continuaram a crescer e trouxeram US$ 72,4 bilhões para empresa, 20% a mais do que o volume arrecadado em 2017.