Consumo de alimentos voltou a crescer impulsionado pelas classes de menor renda

Pesquisa da Kantar Worldpanel destaca ainda os itens que estão ganhando mercado por conta das experiências mais sofisticadas de compra

Unsplash

Depois de seis meses de retração, o consumo voltou a crescer no Brasil. O estudo Consumer Insights, da Kantar Worldpanel, apontou a retomada do crescimento do volume médio por visita na cesta de FMCG (Fast Moving Consuming Goods), os bens de Rápido Consumo ou itens básicos. E os responsáveis pelo impacto positivo foram as classes C e DE.

Os números representam o desempenho do consumo brasileiro no terceiro trimestre de 2018 (de julho a setembro) e aponta ainda que as regiões leste e interior do Rio de Janeiro e o Nordeste como um todo foram as que mais contribuíram para a retomada.

A análise aponta ainda que o atacarejo segue como o queridinho dos consumidores, sendo o principal canal para a compra dos FMCG. Para a ascensão do atacarejo, varejo tradicional e porta a porta perdem espaço, segundo comunicado da Kantar. Em relação às cestas básicas, perecíveis, leite fermentado e mercearia doce se destacam.

Alimentos e experiências

Os alimentos de categorias mais sofisticadas também cresceram, trazendo praticidade, valor agregado e uma alimentação mais prazerosa. O aperfeiçoamento dessas categorias de maior valor agregado tem desempenhado papel importante na hora de decisão de compra, segundo o estudo. Mais de um quarto (27%) de importância das ocasiões de consumo são por prazer.

Além do leite fermentado, leite em pó, batata congelada, pão industrializado, massa fresca e azeite estão entre os itens que seguem na lista do supermercado pelo prazer que trazem para a alimentação do lar. Enquanto isso, fora de casa, os indivíduos buscam principalmente por sabor (50% das ocasiões de consumo fora do lar são por sabor).