Plataformas de e-commerce apontam crescimento acima dos 40% nas vendas de Natal

Varejo deve ter aumento discreto nas vendas de Natal, mas resultado do on-line deve ser muito superior ao do ano passado em algumas plataformas

De acordo com a CNC (Confederação Nacional do Comércio), as vendas de Natal devem crescer 2,3%, taxa que está abaixo do crescimento do ano passado. Já o comércio eletrônico espera continuar se destacando nas vendas. De acordo com expectativa da Loja Integrada – maior plataforma para criação de sites virtuais com mais de 800 mil lojas virtuais – os pequenos e médios e-commerces devem crescer cerca de 43% em dezembro deste ano por conta do Natal.

O número é semelhante de outra pesquisa, da Tray, unidade de e-commerce da Locaweb, que aponta aumento de 42% no faturamento deste Natal. Assim como na Black Friday, que teve alta de 11% no ticket médio, o Natal seguirá a mesma linha, com R$ 280, um aumento de 6,5% em relação ao ano passado, aponta a Tray.

Thiago Mazeto, head de experiência do cliente na Tray, afirma que, durante a Black Friday, os lojistas evitaram queimar sua margem de lucro e a tendência é que promoções de Natal também sejam feitas com moderação. “Desde 2016 percebemos que o Natal deixou de ser a data mais lucrativa para o e-commerce. Com uma ação do tamanho da Black Friday tão próxima, a queda nos pedidos no mês de dezembro é um revés esperado”, finaliza Mazeto.

Pequenos e médios

Segundo os dados da Loja Integrada, Pequenos e médios e-commerces devem crescer 43% neste Natal na comparação com o fim do ano passado.

Em dezembro de 2017, os e-commerces dessa categoria faturaram mais de R$ 49 milhões, sendo que o segmento que mais cresceu foi o de Moda e Acessórios – com mais de R$ 11 milhões em vendas só no mês natalino. Cosméticos e Perfumaria, Casa e Decoração, Esporte e Lazer e Games também foram destaques de faturamento.

Alfredo Soares, diretor da Loja Integrada, aponta que os consumidores estão confiando cada vez mais nos pequenos e médios e-commerces. “Quando iniciou o ‘boom’ de vendas pela internet os clientes compravam mais em grandes varejistas buscando segurança. Agora, eles já apostam e confiam no pequeno e, inclusive, enxergam mais vantagens em comprar desses empreendedores, já que o atendimento costuma ser personalizado e o consumidor encontra mais facilidade de desconto e troca, por exemplo. Além disso é possível encontrar itens personalizados ou de nicho, com várias opções de frete e pagamentos”, avalia.

Shoppings

Em comunicado, a ALSHOP (Associação Brasileira de Lojistas e Shopping) aponta que o natal ainda é a época que mais vende, seguido da Black Friday, porém, como a Black Friday é na última semana de novembro muitos consumidores passaram a antecipar as vendas de fim de ano, diminuindo a lucratividade da data. “A expectativa que temos em comparação ao ano anterior é positiva e estimamos um aumento de 4% a 6% nas vendas deste ano”, avalia a associação.