Varejo deve contratar 10% a mais de temporários para o fim do ano

Estimativa é da Associação Brasileira do Trabalho Temporário, que calcula mais de 400 mil vagas a serem abertas no comércio e na indústria para atender a alta da atividade no período

Crédito: Shutterstock

A Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Assertem) prevê um aumento da demanda por mão-de-obra no fim de ano tanto no comércio como na indústria. O principal período para o varejo deve gerar 434.429 empregos temporários as em todo o país. O número representa um aumento de 10% nas contratações em relação a 2017. De acordo com a Associação, a alta é estimulada pelos segmentos farmacêutico, alimentício, químico e agroindustrial.

Segundo a última PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a taxa de desemprego no Brasil caiu para 12,1% no trimestre encerrado em agosto – é a quinta queda mensal seguida e trata-se da menor taxa de desemprego registrada no ano, sendo o contingente de desempregados 4% menor que o registrado no trimestre encerrado em maio (529 mil pessoas a menos).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Ainda de acordo com a Assertem, entre os estados com mais postos de trabalho temporários para o período, São Paulo lidera com 67,27% das vagas. O Paraná fica em segundo lugar na lista com 7,41%. Em terceiro aparece o Rio de Janeiro, com 5,89% das vagas. “Outubro e dezembro são os meses em que o varejo mais contrata no ano, seja para vendas diretas ou para a área de logística”, explica Camila Ortega, especialista em RH da consultoria Luandre.