Os 8 varejistas mais ricos dos Estados Unidos, segundo a Forbes

Jeff Bezos se tornou o homem mais rico do mundo em setembro segundo a revista Forbes. Conheça outros 7 varejistas norte-americanos da lista

Crédito: Shutterstock

Recentemente, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, se tornou o homem mais rico do mundo, segundo a revista Forbes. Ele é a primeira pessoa a ter um patrimônio de mais de US$ 150 bilhões na história da lista da publicação, que é feita há três décadas. Bezos é CEO e tem 16% das ações da empresa que atingiu US$ 1 trilhão em valor de mercado nos Estados Unidos.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Além da Amazon, Bezos comanda uma empresa que investe em tecnologia espacial. A Blue Origin está desenvolvendo um foguete reutilizável que, segundo seu fundador, transportará passageiro. Jeff Bezos também é dono de The Washington Post, uma das principais publicações norte-americanas.

A primeira colocação de Bezos na lista da Forbes mostra a força do varejo americano. Juntos, os 8 varejistas mais ricos dos Estados Unidos têm cerca de US$ 328 bilhões. Confira o perfil de cada um e algumas curiosidades:

Robson Walton (#15)

Rob Walton comandou o Walmart até 2015. Ele é o filho mais novo de Sam Waltom, o fundador de uma das maiores varejistas do mundo. Segundo a Forbes, Rob tem um patrimônio de US$ 44,6 bilhões. Além de ainda participar do conselho do Walmart, o norte-americano comanda a Walton Family Foundation, que já distribuiu US$ 536 milhões em educação e causas ambientais.

Phil Knight (#28)

É o fundador da gigante de artigos esportivos Nike. Philip e o cofundador da empresa investiram US$ 500 para começar a Nike, que hoje fatura cerca de US$ 34 bilhões por ano, tem 74.400 funcionários e está presente em 52 países. Knight pagou cerca de US$ 35 a um estudante para desenvolver o famoso logo da marca. O patrimônio de Phil Knight é estimado em US$ 32,1 bilhões.

Leonard Lauder (#35)

Lauder passou três décadas à frente da Estée Lauder Companies, gigante do ramo de cosméticos. No período em que ficou no comando da empresa, o nova-iorquino adquiriu grandes marcas, como MAC e Aveda nos anos 90. No final da década, em 1999, Lauder deixou o comando da empresa, mas ainda é o presidente emérito da Estée Lauder Companies. Seu patrimônio é de cerca de US$ 12,5 bilhões.

Pierre Omidyar (#38)

É o fundador de um dos maiores marketplaces do mundo, o eBay. Omidyar fundou a empresa em 1995, quando ele mesmo escreveu o código do site. O francês naturalizado norte-americano investe em jornalismo. Ele fundou a First Look Media, que controla a publicação The Intercept, que tem uma sucursal no Brasil. Além disso, o bilionário lançou no ano passado um fundo para defender a liberdade de imprensa. O fundo financia jornalistas e suas fontes em batalhas judiciais que envolvem reportagens.

Hoje, Pierre Omidyar tem apenas 7% das ações do eBay, mas ainda faz parte do conselho da empresa. Seu patrimônio é de US$ 10,6 bilhões.

John Menard Jr. (#41)

Fundou e comanda a Menards, varejista de artigos para a casa. A rede tem mais de 300 lojas e fatura US$ 10 bilhões por ano, cerca de US$ 100 milhões a menos que o patrimônio de seu fundador, estimado em US$ 10,1 bilhões. Menard é conhecido por praticar o microgerenciamento – ele pede que todos os gestores marquem seus horários no relógio de ponto da empresa, independentemente da posição na hierarquia– e pela paixão por automobilismo – ele comandou uma equipe na Nascar e na Fórmula Indy.

Hank e Doug Meijer (#68)

Os irmãoes Meijer comandaram uma rede de supermercados homônima até o ano passado. Eles herdaram a empresa do pai em 1990. A Meijer tem mais de 230 supermercados nos Estados Unidos e sua receita anual é de US$ 17,7 bilhões. Juntos, os irmãos adquiriram um patrimônio de US$ 6,8 bilhões.

Ralph Lauren (#71)

Ralph Lifshitz, casado com Ricky Lauren, começou a construir sua fortuna quando era estoquista e decidiu fundar a Ralph Lauren. Hoje, seu patrimônio é avaliado em US$ 6,8 bilhões. Lifshitz começou a empresa de moda em um pequeno escritório no famoso Empire State. A história da companhia mudou quando a Neiman Marcus, uma loja de departamento, fez um pedido de 1.200 gravatas.