O gatilho para o Walmart competir com a Amazon, segundo Morgan Stanley

O que falta para o Walmart remodelar seu negócio a fim de conseguir parar a ascensão meteórica de seu maior concorrente? Especialistas do banco revelam

cred: Shutterstock

Com a disputa pelo mercado varejista cada vez mais acirrada, o Walmart sente a operação da Amazon arrancar e tomar grande parte do market share entre os consumidores. De acordo com uma sugestão de analistas do Morgan Stanley, o Walmart só vai conseguir competir com a Amazon quando se der conta que precisa aumentar seu portfólio no e-commerce e, para isso, comprar startups e empresas têm despontado no mercado pode ser a solução par a rede supermercadista.

Os analistas preveem uma convergência nos clientes-alvo de ambas as empresas. Enquanto o Walmart tem mais clientes na extremidade inferior do espectro de renda, a Amazon reina entre as pessoas com maior poder aquisitivo, segundo o Business Insider. Cada um está procura uma margem diferente para crescer e a concorrência está chegando ao ponto de ter que fazer estratégias para tirar os consumidores de outro varejista, de forma direta.

“A próxima etapa do crescimento provavelmente virá do ataque à base de consumidores dos outros”, escrevem os analistas do Morgan Stanley.  Por isso, o banco norte-americana afirma que abocanhar marcas menores, como Outdoor Voices, Allbirds ou Warby Parker podem ser o gatilho para o Walmart ganhar o mercado da Amazon. Essas marcas, segundo os especialistas do Morgan Stanley, já são as favoritas da população mais jovem e rica que compõe o núcleo da Amazon. Essas três marcas têm um histórico de sucesso de e-commerce, com associações positivas na mente dos clientes.

O Walmart já fez algumas aquisições, como a varejista on-line de roupas femininas ModCloth e a de moda masculina, Bonobos. “Marcas adicionais que se inclinam para consumidores mais ricos podem, com o tempo, elevar a marca e a credibilidade do Walmart”, disseram os analistas do Morgan Stanley.

Ainda segundo a análise da instituição financeira, o Walmart ainda está associado a suas raízes de baixo custo da histórica campanha que ficou eternizada como “Always Low Prices” (sempre com preços baixos, em tradução literal). No entanto, as recentes aquisições, simples para uma empresa do porte do Walmart,  expandiram seu sortimento em vestuário e também ampliou muito sua oferta de produtos de mercearia, que agora inclui muitos itens naturais e orgânicos.

“Com a aquisição de marcas de alto nível, o Walmart poderia apresentar sua marca atualizada aos consumidores finais”, escreveram os analistas. “Aquisições adicionais podem acelerar a adoção do Walmart pelo principal cliente da Amazon”, opina o Morgan Stanley.