Alta em maio não tira preços de supermercado da deflação anual

Pesquisa da APAS aponta que os preços no supermercado apresentam deflação no acumulado do ano, mesmo com a alta do mês passado. Confira

Shutterstock

A Associação Paulista de Supermercados (APAS) divulgou números relacionados aos preços praticados na rede supermercadista no Estado. Em maio, os preços subiram 0,25% em relação a abril, segundo o Índice de Preços dos Supermercados (IPS). Ainda assim, a inflação nos supermercados paulistas permanece em um patamar negativo, acumulando 0,29% de queda em 2018.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!  

Os produtos vendidos em supermercados são distribuídos em 27 subcategorias. Dentre essas, o aumento dos preços se concentrou em oito subcategorias. O destaque fica para os tubérculos, com batata e cebola registrando aumento de 33% e 40% respectivamente. O leite também registrou aumento de 4,31% em maio, alcançado 14,3% no ano.

Motivos

Thiago Berka, economista da APAS, aponta que, leite e tubérculos têm um peso importante no orçamento familiar e, juntos, somam mais de 10% do que uma família gasta. “Esses fortes aumentos acabaram contribuindo para a situação observada em maio”, diz.

Leia também: 

Como St. Marche e Hortifruti resistem à onda de preços achatados

Berka atribui o aumento do preço do leite a mudanças no mercado e conjuntura política. “Nos meses de abril e maio, o preço do leite disparou no mercado de atacado, isso porque muitos produtores saíram do segmento após um ano de 2017 apresentando preços baixos de venda, mas com altos custos de produção. Todos esses fatores foram agravados pela greve dos caminhoneiros, que fez o leite subir 4,31% em maio e atingir 14,30% no acumulado de 2018”, avalia o economista.

Junho

Para junho, a expectativa é de nova alta. Desta vez, junto com o preço do leite, o que deve puxar a alta é o frango. A primeira pesquisa semanal de junho, feita pelo Procon, apontou que o valor do quilo do frango subiu 11,98%. O leite segue a mesma tendência, com alta de 8,13%.

Confira a oscilação dos preços de supermercado:

Leia também:

Vendas no varejo têm aumento discreto em abril, segundo IBGE