Starbucks desbanca Apple e tem o melhor serviço de pagamentos mobile

Entenda como uma das maiores redes de cafeteria do mundo deixou para trás empresas referenciais do Vale do Silício no serviço de pagamentos por proximidade

Crédito: Shutterstock

A vinda dos pagamentos mobile por proximidade ao mercado de consumo trouxe facilidade e rapidez na conclusão da compra na loja física. No entanto, ao contrário do que pensa o senso comum, a Apple, mesmo com toda a popularidade e com o valor agregado de um produto como o iPhone, não conseguiu ter a mesma popularidade em seu serviço de pagamentos por meio de celulares como o Starbucks.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

A famosa rede de cafeterias teve mais vendas por meio de seu aplicativo de transações via proximidade do que qualquer outro player no mercado cujo serviço é até mais conhecido e propagado.

Segundo pesquisa do site especializado eMarketer, dos Estados Unidos,  23,4 milhões de usuários usam o serviço do Starbucks, deixando para trás a Apple, com 22 milhões, o Google, com 11,1 milhões, e a Samsung, com 9,9 milhões. Só o serviço de pagamentos de proximidade do Starbucks representa para a companhia 12% de todas as vendas.

A expertise do Starbucks está no pioneirismo (o serviço foi lançado em 2009), em seu programa de fidelização e nos descontos envolvidos quando os clientes usam o aplicativo do celular para comprar nas lojas físicas.

“O pagamento mobile do Starbucks ganhou força graças à sua capacidade de se vincular ao programa de recompensas. Para os usuários do aplicativo, o valor de pagar com o smartphone é claro e simples – você pode economizar tempo e dinheiro no registro, tudo isso acumulando recompensas e ofertas especiais”, afirma o levantamento do eMarketer.

Usuários de pagamentos por proximidade

O número de usuários de pagamentos por meio do celular nas lojas físicas, nos EUA, crescerá 14,5% até o final deste ano, chegando a 55,0 milhões. Visto isso, com esse cenário, em 2018, pela primeira vez, mais de 25% dos usuários norte-americanos de smartphones, com 14 anos ou mais, farão um pagamento móvel de proximidade pelo menos uma vez a cada seis meses.

Leia também:
Preços na internet caem pelo 17º mês seguido