Reconhecimento facial pode ajudar a alavancar vendas nas lojas físicas

Adoção da tecnologia é aliada para mapear e entender como os consumidores interagem com o ambiente da loja e com os produtos

cred: Shutterstock

A busca por meios que auxiliem na atratividade dos produtos e, consequentemente, na elevação das vendas de um negócio chama cada vez mais a atenção de empreendedores. Independentemente do setor, estratégias que impulsionem o faturamento são sempre bem-vindas, porém é fundamental avaliar cada modelo de estabelecimento para que os resultados sejam positivos.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Quando falamos de um e-commerce, já é muito comum a utilização de soluções que permitem verificar quanto tempo um usuário ficou navegando no site, quais produtos ele buscou e com que frequência realiza compras online, por exemplo. No entanto, você sabia que também é possível entender o comportamento dos clientes em lojas físicas?

Hoje, as soluções de reconhecimento facial são umas das principais tecnologias que permitem o mapeamento em tempo real das pessoas que estão circulando em uma loja e a identificação de características auxiliam, até mesmo, na alteração do conteúdo de uma vitrine, a fim de atender as expectativas dos consumidores e alavancar as vendas.

A adoção dessa tecnologia é uma tendência mundial. Segundo pesquisas realizadas pela consultoria MarketsandMarkets, o reconhecimento facial nas lojas já movimenta mais de 3,3 bilhões de dólares e pode chegar a 7,7 bilhões em 2022.

No varejo, a solução promove a observação de informações muito precisas, como a reação de um usuário ao passar por uma gôndola – permitindo analisar se o produto está fazendo sucesso ou não – ou se algum item está mal localizado. Para aqueles que utilizam a sinalização digital, também conhecida como Digital Signage, a integração das soluções pode resultar em um aumento ainda maior das vendas.

O Digital Signage é uma tecnologia que fornece qualquer tipo de informação de maneira totalmente programada e segmentada. Desse modo, se o reconhecimento facial detectar que mais adolescentes estão olhando a vitrine de uma loja de departamento, poderá haver uma mudança, em questão de minutos, para materiais que atraiam mais esse público. Em contrapartida, também é possível perceber que o produto de um supermercado não está agradando os clientes, uma vez que é detectada uma expressão de insatisfação.

Ainda pouco utilizada no Brasil, a solução também pode auxiliar na organização de fluxo de um ambiente nos horários mais movimentados. Quem nunca desistiu de comprar um produto ao se deparar com fila enorme para realizar o pagamento? Por meio dessa tecnologia, é possível a detecção do aumento do número de pessoas e então o acionar um novo caixa e mais funcionários no interior da loja.

São inúmeros os dados que podem ser detectados e, de alguma maneira, todos eles transmitem a impressão que um ambiente oferece para cada cliente, seja ela negativa ou positiva, gerando a possibilidade de readequação, sempre tendo como objetivo a entrega de uma experiência cada vez melhor aos seus clientes. Mais do que nunca, a tecnologia está a favor das empresas e das pessoas. E você, já sabe como utilizá-la a favor de seu negócio.

Leia também:
Amazon vai abrir carro do consumidor para fazer entrega

*Por Cristiano Felicissimo, diretor de Pré-Vendas da Seal Telecom