Apenas 11% das MPEs pretendem tomar crédito nos próximos três meses

Entenda por que os micro e pequenos empresários estão reticentes em contratar crédito, segundo pesquisa do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL)

Crédito: Shutterstock

De acordo com levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), apenas 11% das micro e pequenas empresas (MPEs) possuem intenção de contrair crédito para seus negócios nos próximos 90 dias. Apesar da parcela minoritária, esse percentual já foi ainda menor. Em maio de 2016, 5% dos micro e pequenos empresários afirmaram que tinham intenção de investir.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Dos que responderam que não têm intenção de investir, 54% disseram que conseguem manter suas empresas com recursos próprios, sendo desnecessário buscar outras fontes. Um terço (33%) considera os juros elevados e 21% estão inseguros com as condições econômicas do país.

“Mesmo com o avanço observado nos últimos meses, que quase fez dobrar os resultados do indicador, a busca por crédito ainda não faz parte da gestão corriqueira dos empresários de menor porte. Prova disso é o fato de que a maior parte dos micro e pequenos diz que consegue se manter sem recursos de terceiros”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Mas para o desenvolvimento e expansão do negócio, o crédito pode ser uma via importante de crescimento, segundo a especialista. “Por isso, o acesso por linhas de crédito específicas, com custo mais baixo, poderá contribuir para a expansão do negócio”, conclui.

Os destinos do crédito

Considerando os micro e pequenos empresários que estudam a possibilidade de tomar crédito no mercado, as principais finalidades são formar um capital de giro (39%), compra de equipamentos e maquinário (24%), adquirir estoques e insumos (19%) e a ampliação do negócio (16%). Já quanto às modalidades de crédito mais procuradas devem ser os empréstimos (48%), financiamentos (24%) e descontos de duplicatas (13%). De acordo com o levantamento, em média, o valor do crédito a ser tomado será de de R$ 47.776.

Avaliação de tomada de crédito

Para quatro em cada dez (38%) micros e pequenos empresários consultados, contratar crédito é algo difícil de se conseguir, principalmente pelo excesso de burocracia (59%) e devido as altas taxas de juros (52%). Já para os que consideram ser fácil contratar crédito (23%), o bom relacionamento com o banco é a principal razão, citada por 45%. Estar com as contas em dia (44%) também é um fator que ajuda, de acordo com os entrevistados.

Leia também:
Intenção de consumo cai em abril, diz CNC