Perseguido pela Amazon, Walmart lidera varejo de moda na internet

O varejo de moda está em disputa acirrada principalmente entre Walmart e Amazon. Target perde mercado, mas se mantém na briga

Crédito: Shutterstock

A Amazon, hegemônica nas vendas on-line no mundo ocidental, perde para seu principal concorrente, o Walmart, quando o assunto é venda de vestuário e calçados na internet. O Walmart lidera com uma certa folga o mercado on-line de roupa, com 41.8% da preferência do consumidor digital. Os dados são do NPD Group e foram divulgados pelo portal eMarketer.

A segunda posição é disputada palmo a palmo. A Target está perdendo mercado principalmente para a Amazon. A diferença entre Amazon e Target é de apenas 0,1% na preferência do consumidor na internet. A pioneira do mercado eletrônico tem 37,4% da preferência e tomou a posição da Target, que tem 37,3%.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

A pesquisa abrange os varejistas nos quais os usuários de internet nos Estados Unidos mais compraram roupas e calçados nos últimos 12 meses. Além de Walmart, Amazon e Target, as varejistas Kohl’s (com 32,9%) e T.J.Maxx/Marshalls (com 25.3%) são os preferidos dos consumidores daquele país.

Varejo de moda retrai, mas internet cresce

As vendas de vestuário nos EUA caíram 2% em 2017 em relação ao ano anterior, somando 215 bilhões de dólares. No comércio eletrônico, porém, as vendas de vestuário cresceram 4% e passaram a representar 21% do total.

Outra tendência é a diminuição de gastos por sessão nas compras on-line. A NPD informou que a frequência de compras aumentou em 2017, mas o tíquete médio caiu 5%.

Os dados apontam que 30,3% dos consumidores americanos que passaram a gastar mais na Amazon nos últimos três anos deixaram de gastar na Target. A Amazon também tomou 24,9% de um possível faturamento adicional do Walmart.

Roupas femininas e esportivas em destaque

Os dados apontam que o aumento de vendas no on-line está relacionado principalmente às roupas femininas, que cresceram 4%, e às voltadas para atividades esportivas (classificadas como activewear), com 2% de aumento. Roupas esportivas correspondem a 22% das vendas totais do varejo on-line de moda.