Varejo registra melhor faturamento em janeiro desde 2013

Relatório divulgado pelo IBGE indica melhora expressiva do setor em todos os estados brasileiros. Saiba o motivo do crescimento do varejo, segundo especialistas

cred: Jason Batterham / Shutterstock.com

O varejo ampliado, que inclui os segmentos de materiais de construção e veículos, registrou aumento de 6,5% em janeiro, em relação ao mesmo período de 2017, segundo dados da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC). Desde 2013, esse é o melhor resultado para o mês quando houve alta de 7,0% no faturamento real do setor. O relatório, considerado o oficial do setor, foi divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Diante dos resultados, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou sua projeção para o volume de vendas no varejo. A previsão aumentou de 5% para 5,2% em relação faturamento no fim de 2018.

“A ancoragem das expectativas em relação à inflação abaixo do centro da meta neste ano deverá viabilizar a intensificação da queda das taxas de juros na ponta nos próximos meses. Consequentemente, isso permitirá a continuação do processo de recuperação do volume de vendas no varejo”, afirma o chefe da Divisão Econômica da CNC, Fabio Bentes.

Segmentos

O crescimento foi puxado pelo conjunto composto pelos hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que subiu 2,3% em janeiro, na comparação anual.

De acordo com a metodologia do IBGE, o segmento tem grande representatividade no varejo: dos 3,2% de aumento do volume de vendas do varejo em janeiro, em relação ao mesmo mês do ano passado, quase metade (1,4%) vem da categoria.

Outro que tem grande peso, segundo o IBGE, apresentou bons resultados. O segmento de artigos de uso pessoal e doméstico teve alta de 10,5% neste mês, no comparativo anual.

Por região

Também pela primeira vez em cinco anos, todos os estados brasileiros registraram aumento no faturamento do varejo, fato que confirma a recuperação do setor. O crescimento generalizado não acontecia desde abril de 2013. As maiores taxas positivas ocorreram nos estados de Santa Catarina (20,6%), Rondônia (19,0%) e Amazonas (14,6%).

Leia também:
Lego, Nasa e o novo ambiente de negócios organizado em ecossistemas