Marketplaces têm quase 20% do faturamento do e-commerce no Brasil

No ano passado, houve participação expressiva dos marketplaces no comércio eletrônico brasileiro, de acordo com pesquisa divulgada pelo Ebit

Shutterstock

Os marketplaces, plataformas online que ajudam grandes varejistas a rentabilizar por meio de lojas parceiras, representou 18,5% do faturamento do e-commerce em 2017. De acordo com o relatório “Webshoppers” divulgado na noite desta quinta-feira pela Ebit, são R$ 8,8 bilhões vindos dos marketplaces, do total de R$ 47,7 bilhões que o comércio eletrônico brasileiro arrecadou. É a primeira vez que o relatório contabiliza o modelo de venda por ser uma área nova adotada pelo varejo.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

“Do ponto de vista das grandes lojas, o marketplace trouxe várias vantagens como diversificação de produtos, aumento de receita com melhoria de margens de lucro, além do crescimento de vendas em mercados de nicho”, diz o relatório da Ebit.

Experiência

A relação dos consumidores com os marketplaces também foi abordada na pesquisa.   Quando os entrevistados foram perguntados sobre o termo “marketplace”,  57% disseram que não sabiam responder o que significava. “O modelo de ainda é pouco reconhecido pelos consumidores, que na maioria dos casos, percebem apenas que a compra foi realizada em uma loja parceira quando recebem os produtos em casa”, relata a pesquisa.

Leia também:
Vendas mobile dominam varejo eletrônico no mundo

Mas quem conhece o marketplace e teve a experiência aprovou, de acordo com a Ebit. O estudo diz que 58% dos usuários são assíduos. Isso significa que os internautas realizaram pelo menos quatro compras em marketplaces 2017. Dos usuários que navegaram pelas plataformas,  89% consideraram a experiência boa ou ótima.