PMEs estão atrasadas para entrar no eSocial, que será obrigação em julho

As PMEs devem estar preparadas para o eSocial no máximo até julho; mudanças começam em janeiro para negócios com faturamento superior a R$ 78 milhões

Crédito: Shutterstock

Apenas 7% das empresas de médio e pequeno porte concluíram as adaptações necessárias para aderir ao eSocial, plataforma que será obrigatória para as empresas do segmento a partir de julho de 2018. Os dados são do Sindicato das Empresas de Contabilidade e de Assessoramento no Estado de São Paulo (Sescon/SP).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

O eSocial é uma plataforma eletrônica que reunirá informações trabalhistas, previdenciárias, fiscais e tributárias de trabalhadores. A ferramenta promete eliminar diversas obrigações acessórias exigidas atualmente por diferentes órgãos, algumas em duplicidade. A promessa do governo é de maior garantia no cumprimento de direitos previdenciários e trabalhistas, além de racionalização e simplificação do cumprimento das obrigações.

As mudanças começam mais cedo para empresas com faturamento superior a $ 78 milhões, que devem promover todas as mudanças necessárias até o começo do mês que vem.

Dúvidas e prazo apertado

A pesquisa da Sescon/SP aponta que 16% dos entrevistados têm dúvidas e incertezas relacionadas às alterações provocadas pela reforma trabalhista. Para 31%, o prazo para a concretização das mudanças é muito apertado por causa das dúvidas e outros 8% consideram um problema a adequação dos custos no prazo exigido.