Google vê maior eficiência do pequeno varejo na Black Friday em 2017

O Google deu suporte a pequenos e grandes varejistas para atender o aumento da demanda na Black Friday e explica o desempenho das empresas

Crédito: divulgação

O Google espalhou a sua operação pelos principais centros de varejo do Brasil para acompanhar de perto a movimentação das marcas na Black Friday deste ano. A Samsung fez o contrário, foi até a sede do Google em São Paulo e montou uma espécie de quartel-general para acompanhar o desempenho de vendas da marca no varejo nacional.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

O grande desafio do Google nesta Black Friday foi colocar os pequenos e médios varejistas brigando com os grandes nas buscas pela internet. Para isso, a empresa antecipou a programação e reuniu-se com os pequenos e médios varejistas meses atrás para que eles adequassem sua infraestrutura e evitassem problemas quando a hora H chegasse. “A velocidade é muito importante para os pequenos e é preciso preparar a infraestrutura para isso. É preciso que o pequeno use sua facilidade de se adaptar à mudança”, afirma André Barros, gerente de engenharia do Google Brasil.

 

Black Friday começa em agosto

O Google operou ao lado de seus clientes ao longo do ano, preparando a Black Friday,  intensificando as ações três meses antes da grande sexta-feira. Barros diz que, anteriormente, era necessária uma operação de guerra para momentos de aumento súbito de demanda e que hoje, com um planejamento adequado, os riscos são diluídos de maneira eficiente. “No passado, os pequenos tinham uma barreira natural que era a necessidade de contratações em série. Hoje, qualquer start-up tem acesso a uma estrutura de nível e seu negócio rodando em questão de semanas. Não é preciso mais um grande investimento em ativo fixo. O custo de infraestrutura passou a ser variável de acordo com sua operação, de acordo com a sua demanda. Isso viabiliza o pequeno”, destaca.

A preparação antecipada e a infraestrutura correta para suportar o aumento de demanda têm reduzido drasticamente os casos de queda de sites e perda de vendas por problemas técnicos. Barros estima que durante a madrugada e a manhã da Black Friday deste ano os problemas técnicos foram reduzidos em 70%.

 

Posicionamento de marca

Rafael Campion, líder de inteligência de mercado do Google Brasil, afirma que os pequenos têm alçado ganhos mais relevantes que os grandes na Black Friday, exatamente porque as marcas maiores já estão estabelecidas, enquanto as pequenas encontram a oportunidade de se colocarem com maior visibilidade.

Campion reforça, porém, a necessidade de os pequenos varejistas antecipar a divulgação de suas marcas para que o consumidor já tenha contato com a marca quando a Black Friday chegar. “Muitos varejistas ainda entram na Black Friday apenas para vender. É preciso, antes, posicionar a marca e mostrar ao consumidor como que ela pode ajudá-lo”, explica.

 

Leia também:

4 passos para um pequeno e-commerce crescer na Black Friday, segundo o Google