EUA podem bater recorde de vendas em novembro – e não será na Black Friday

Um levantamento produzido pela Adobe projeta que a Black Friday será “fichinha” perto de outra data comercial muito aguardada pelo varejo americano

A Cyber Monday pode bater o recorde de vendas em um único dia. Crédito: Pixabay

Já faz um tempo que a Cyber Monday se tornou uma data mais relevante para o varejista norte-americano do que a Black Friday. E os motivos são inúmeros, mas principalmente porque a tal sexta-feira negra acontece no meio do feriado de ação de graças nos Estados Unidos, o que leva milhares e até milhões de americanos a viajar, visitar parentes, rever amigos e, por último, fazer compras. Já na primeira segunda-feira após o feriado, pessoas retornam a sua rotina e sentem-se mais tranquilos para fazer compras e sem toda aquela agitação da data comemorativa.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Um dado que mostra a força da Cyber Monday é um recente estudo desenvolvido pela fabricante de software e outras soluções digitais, Adobe. Segundo a companhia, as vendas no e-commerce devem crescer 16,5% na comparação com o ano de 2016.

Aos números: estima-se que as vendas cheguem a US$ 6,6 bilhões. Se essa projeção realmente se confirmar, a Adobe afirma que esse será o maior dia de compras da história dos EUA.

Já a BlacK Friday…

A Adobe também exibiu as projeções de vendas para o Dia de Ação de Graças, a tal sexta-feira negra. De acordo com a projeção, as vendas devem representar um aumento de 15% na comparação com 2016 e pode alcançar a não menos impressionante cifra de US $ 2,8 bilhões em apenas um dia de vendas.

A somatória das vendas no e-commerce de toda a temporada de férias dos EUA (período entre agosto e início de outubro) deve chegar a US$ 107,4 bilhões, um aumento de 13,8%. Já o varejo físico deve apresentar um aumento de 10%.

Em entrevista ao site Chain Store Age, Mickey Mericle, VP de marketing e insights da Adobe, acredita que o sucesso do varejo neste ano está ligado a uma série de iniciativas tanto de médios quanto dos grandes varejistas. “Nós prevemos que os grandes varejistas terão uma ampla seleção de ofertas, experiências de compras fáceis e frete grátis. Tudo isso deve impulsionar o crescimento do feriado online neste ano. Ainda assim, há oportunidades para pequenos varejistas inteligentes em ganhar a sua fatia neste feriado, especialmente se apostarem em boas experiências móveis”, disse.