6 Aplicações de Realidade Virtual e Aumentada para o varejo

A incorporação dessas tecnologias no setor está ficando cada vez mais palpável para revolucionar a experiência de compra dos clientes. Confira os exemplos

Realidade aumentada

Shutterstock

A sociedade está sonhando com as possibilidades das “novas realidades” já há algum tempo. Realidade virtual e aumentada estão mostrando muito potencial para games e entretenimento – e também para uma experiência completamente diferenciada dos clientes no varejo. Durante a NRF 2017, o conceito foi amplamente explorado pelas empresas.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

Exemplos como uma nova forma de autoatendimento, a eliminação de filas em provadores e caixas e, em alguns casos, até mesmo a ida à loja física estão demonstrando as possibilidades do varejo do futuro. Uma grande promessa paira: a possibilidade de mudar totalmente a forma como os consumidores compram.

“Quase todos os grandes players de tecnologia presentes à feira mostraram alguma aplicação dessas tecnologias. O realismo e a funcionalidade impressionam muito. Não tenho dúvidas de que essas soluções vão realmente revolucionar a forma como as pessoas se relacionam com as marcas”, conta Adriano Araújo, diretor da Symphony EYC no Brasil.

A empresa aponta que uma das aplicações mais promissoras da realidade virtual é no e-commerce. O uso dos óculos de VR recria os ambientes e permite que o cliente “passeie” pelas gôndolas de um supermercado virtual, ou mesmo compre roupas “experimentando” o estoque em alguns minutos – algo extremamente prático, eficiente e convidativo.

Já a realidade aumentada, que consiste na inserção de objetos virtuais no ambiente físico, por sua vez, já está sendo fundamental para alguns varejistas de móveis e decoração. A tecnologia permite que o cliente veja como o produto vai ficar em sua casa antes mesmo de ir até a loja. Basta que o cliente navegue pelo catálogo e, através de seu aplicativo, veja em seu smartphone o layout desejado.

Além disso, as duas tecnologias podem ajudar os varejistas a criarem lojas virtuais, com ilimitadas possibilidades de testar conceitos de ambientação – algo que levaria semanas no ambiente físico. Supermercados e fabricantes de bens de consumo também podem simular a exposição de seus itens em cada setor da loja e, inclusive, convidar clientes para experimentar e testar suas novidades antes da implementação na loja.

Confira alguns exemplos:

Varejistas que já investiram

1- Myer
A loja de departamentos australiana fez uma parceria com o e-Bay para criar a primeira loja do setor com realidade virtual. As empresas criaram um aplicativo para que os clientes possam ter a experiência pelo seu próprio smartphone utilizando apenas o óculos de VR feito de papelão.

2- Ikea
A realidade aumentada é uma grande aposta da Ikea para que os clientes tenham noção de como os produtos ficam em sua própria casa. A experiência de compra para itens de decoração torna-se muito mais fácil.

Aplicações

3- Supermercados
A ShelfZone criou toda uma experiência de compra em um supermercado por realidade virtual – desde a escolha de um produto, comparação de preços e até mesmo o acesso aos ingredientes de uma receita específica solicitada pela consumidora. Até mesmo a opção de acessar as informações sobre produtos que outras amigas consomem é demonstrada no vídeo.

4- E-commerce
Para o e-commerce, existem muitas possibilidades. Uma delas é a capacidade de oferecer ao cliente uma vivência de experimentação dos produtos, observando cores, tamanhos e combinações. Veja o exemplo da Sixsense VR:

5- Moda
A empresa chinesa New Tempo mostra uma experiência com um provador digital pelo qual a cliente pode provar diversos produtos e fazer combinações apenas por uma tela em tamanho real.

6- Planejamento físico
A Fifth Dimension, empresa adquirida pela Symphony EYC, demonstra a possibilidade de planejar ambientes físicos a partir da realidade virtual, criando conceitos e testando layouts. Assista aqui.