3 dicas para atrair Millennials para sua PME

Para os especialistas, essa é uma geração curiosa e inovadora, o que pode fazer toda a diferença para os novos negócios. Veja como encantá-los

Shutterstock

Nos últimos tempos, uma geração tem ganhado destaque em todo tipo de análise de mercado: os Millennials. Para os especialista, essa é uma geração-chave para trazer soluções inovadoras para as empresas. Essa é uma lição que as grandes estão aprendendo com as startups.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

“Os millennials são estimulados por fatores diferentes e têm objetivos diversos de quem veio antes. Se bem aproveitado esse potencial, são profissionais capazes de contribuir para a expansão e bom desempenho de qualquer negócio”, conta Rafael Meneses, cofundador do d’hire ao lado de Guto Polycarpo. Os executivos destacam três formas para atrair esses profissionais para a equipe:

1 – Flexibilize
A carreira já não tem mais a primazia no planejamento da vida como décadas atrás. Enquanto isso pode parecer sinal de desleixo para empregadores, na realidade, garante profissionais menos sujeitos a doenças psicológicas, como estresse e ansiedade. Para alcançar esse cenário, porém, é preciso desamarrar-se da lógica do trabalho das oito da manhã às seis da tarde. Horários alternativos e reduzidos, home office, a tarde da sexta-feira livre, entre outras, são todas iniciativas para criar um posto mais atraente para Millennials. Essa geração valoriza mais o propósito dos negócios do que o lucro.

2 – Escute
No lugar de relações verticais, nas quais um chefe manda e uma equipe obedece, a nova geração que ingressa no mercado de trabalho anseia por empresas mais horizontais, onde todos falam e escutam. Esse perfil tem sido altamente valorizado por novas empresas, pois é do incômodo e questionamentos que saem as soluções criativas e que resolvem problemas reais. “Isso não significa desordem ou ninguém no comando”, diz Meneses, “mas gerentes capazes de ouvir vozes diferentes e fazerem-se respeitar por meio de diálogos, e não apenas na autoridade”, explica o cofundador do d’hire.

3 – Ofereça mais do que um salário
E isso não significa benefícios. Na mesma toada em que a carreira perde importância na vida pessoal, o emprego ganha significados para além da fonte de renda. Ele é mais que uma obrigação: é uma maneira de realizar algo em que se acredita. Criar o contexto para que seja possível realizar esse ”algo” – que pode ser desde um projeto pessoal até contribuir para uma causa coletiva – é mais um atrativo para os talentos dessa geração. Mas vale lembrar: a motivação extra não significa que irão trabalhar de graça.