Novos hábitos de gestão que impulsionam resultados

Descubra por que a revisão de processos é imprescindível na gestão de negócios do varejo

No varejo, qualquer tipo de negócio tem a chance de melhorar a fluidez de processos, revendo etapas, reduzindo custos, ganhando produtividade e melhorando margens. Mas para uma boa (e tão necessária) revisão de processos, é preciso conhecer novas metodologias de gestão para realinhar os processos do seu negócio.

Durante o BR Week, executivos de empresas reconhecidas pela exímia orquestração de seus processos mostraram não apenas por que a prática é dever de todo gestor de varejo. Confira a seguir quais são os novos métodos capazes de abrir novos horizontes na captação de ideias e práticas vitoriosas que podem fazer a diferença no seu negócio.

1. Processos: revise, revise e revise
Seja por uma questão temporal ou interfaces, o varejo é um animal complexo, garante Alfredo Pinto sócio da Bain & Company. “Um dos maiores aprendizados ao longo dos anos é a capacidade de priorizar processos – sem ela a probabilidade de perda é muito grande. Definir objetivos e princípios de trabalho envolve o desenvolvimento de equipe e alocação de recursos de alto potencial”, explica o porta-voz.

2. Mapeie alavancas de valor
Para alinhar os objetivos do projeto ao plano de trabalho e output, o executivo recomenda identificar um desenho que desenvolva o suporte e engajamento do time de liderança.

3. Estabeleça objetivos alcançáveis que motivem a transformação
Conheça as métricas relevantes e potenciais benchmarks. Segundo Pinto, é importante conduzir factbases e benchmarks internos e externos, conhecendo assim as métricas relevantes, que por sua vez permitirão a redução de custos.

4. Compare o estado atual e ideal para qualificar oportunidades
Defina o estado ideal de atividades e serviços do negócio para conseguir identificar melhorias possíveis em atividades e processos. Ao construir um estado futuro otimizado, consequentemente, você acaba estimando a redução de custos em potencial.

5. Planeje e mobilize para a implementação
Manuel Corrêa, diretor geral da Telhanorte, defende que a implementação deve ocorrer gradativamente para não interromper soluções que seriam viáveis ao negócio. “Acelerar um processo pode matar uma grande ideia, pois as pessoas não estão preparadas para a mudança cultural que exige um novo modelo de gestão”, previne o executivo. “Num país como o Brasil, onde é preciso fazer mudanças o tempo todo, o melhor é ir testando e aprimorando. Neste sentido o varejo é fantástico, já que permite que o piloto de uma loja, dando certo ou errado, tenha impacto limitado no perímetro todo. Gosto de já sair rasgando.”

6. Proporcione uma visão única de desenvolvimento
De acordo com Ronaldo Pereira, CEO da Óticas Carol, é imprescindível gerar visibilidade para toda a companhia sob um único canal – assim qualquer funcionário ou franqueado consegue ver o que está acontecendo em termos de desenvolvimento. “No começo, nossa conversão era mais na base da intuição, porém hoje contamos com uma equipe de 14 pessoas na área de expansão, que fazem amplo uso de ferramentas de geolocalização para desenvolver comerciantes e transformá-los em empresários. À medida que a empresa vai ganhando corpo fica mais fácil aplicar práticas de gestão”, conclui o CEO.