5 dicas para ter sucesso em um marketplace

Modelo de negócio é uma alternativa para reduzir custos e aumentar as vendas on-line

Os marketplaces, também conhecidos como shoppings virtuais, ganham cada vez mais força no mercado brasileiro. Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), já existem cerca de 50 plataformas virtuais desse tipo, sendo dez delas ligadas a grandes redes varejistas.

Para o comerciante que quer entrar no varejo on-line, mas ainda não possui uma estrutura para uma loja independente, a solução pode ser associar-se a um marketplace. Esse modelo de negócio é uma alternativa para reduzir custos e aumentar as vendas de lojas on-line ? principalmente pequenos e micronegócios. Para os donos dos marketplaces, além de impulsionar a receita por meio da comissão sobre as vendas, o modelo traz benefícios como o aumento na diversidade dos produtos ofertados, o que estimula a compra do consumidor, aumenta o tíquete médio da loja e fideliza os clientes. Já para os consumidores, o marketplace possibilita que, no mesmo ambiente, eles possam realizar uma compra com diversos produtos de diferentes lojistas e de forma transparente.

Existem dois modelos de marketplaces: grandes varejistas, como Extra, Submarino, Walmart, Mercado Livre e Rakuten, que possuem um potencial enorme de publicidade e geram muito tráfego. Isso faz com que seu produto alcance novos patamares de visualização, gerando, portanto, mais receita para o seu negócio por meio de vendas nesses canais de alta penetração.

O segundo tipo é formado pelos marketplaces de nichos, que potencializam o seu produto em determinada categoria como o Elo 7, voltado exclusivamente para artesanato; ou Repassa, que comercializa roupas, acessórios e produtos eletrônicos novos e seminovos. Esses marketplaces de nichos podem ser o primeiro passo para quem quer montar uma loja virtual ou para quem quer ampliar o seu mercado.

Podemos resumir em 5 dicas os pontos a que o pequeno lojista deve estar atento para ter sucesso em um marketplace:

1 – Aumente a sua taxa de conversão e o tíquete médio do seu e-commerce integrando-se aos grandes varejistas.

2 – Fique atento às categorias poucos exploradas nos grandes varejistas, já que elas podem lhe trazer um rápido retorno, uma vez que a concorrência dentro do canal pode ser baixa.

3 – Procure empresas que façam a integração da sua plataforma de e-commerce com os marketplaces. Isso pode ser uma alternativa bem mais rápida do que desenvolver a integração, sem contar que essas soluções possuem um painel de administração que traz, em uma única interface, todos os marketplaces integrados, sincronizando-os ao seu departamento de produtos, pedidos e estoque.

4 – Para quem tem uma loja física, o marketplace de nicho pode ser uma ideia de como funciona uma operação de e-commerce; pode ser um passo inicial para entrar no mundo digital.

5 – Alguns marketplaces divulgam a loja dando grande visibilidade à marca, inclusive formatando uma página exclusiva com área para logo, banner e lista de todos os produtos. Isso pode ser fundamental para a visibilidade da marca no ambiente digital. Descrição de produtos detalhada, fotos exclusivas e direção de arte também podem fazer a diferença para destacar a loja e seus produtos e, quem sabe, angariar oportunidades de destaque na home do marketplace.

* Erick Melo é cofundador da Webjump