Dafiti entra na briga contra os Correios por ‘fretes abusivos’

Por: Leonardo Pinto 4.312 views

Reajuste nos preços dos fretes praticados pelo serviço público de entregas são objetos de crítica e descontentamento de empresas como Mercado Livre e Netshoes

Créd: Shutterstock

Após as críticas públicas do Mercado Livre e da Netshoes, a Dafiti  é mais uma a pressionar os Correios. A empresa, que detém marcas relevantes do e-commerce brasileiro, como a Kanui, entrou na briga contra os “fretes abusivos” do serviço estatal de entregas. A companhia alega que o reajuste nos preços das entregas é “um retrocesso ao comércio eletrônico nacional”.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

A Dafiti adere à campanha que começou com o Mercado Livre no começo do mês.  Logo após a primeira denúncia, a Netshoes foi às redes sociais publicar um manifesto para protestar e denunciar os preços dos Correios. Segundo um levantamento do Mercado Livre, as novas taxas de entrega tiveram aumento médio de 29% e podem chegar a até 51% nas vendas online.

Protesto nas redes sociais

“Caso esse aumento não seja revisto, terá impacto direto em muitas regiões do Brasil onde não há alternativas aos Correios e inevitavelmente forçará as empresas a reverem suas políticas de frete, afetando diretamente milhões de consumidores. Ainda, esse aumento impactará diretamente os parceiros de Marketplace que hoje oferecem seus produtos em nossos sites, podendo inviabilizar suas operações”, disse a Dafiti em nota divulgada à imprensa.

Seguindo a mesma linha de protesto do Mercado Livre e da Netshoes, a Dafiti conclui que haja comum acordo entre as empresas. “Desejamos que esse debate do reajuste resulte em um acordo comum e que se mitigue o impacto aos seus clientes e parceiros. Reforçando esse apoio, o e-commerce lança hoje seu manifesto para incitar ainda mais a discussão”.

Leia também:
Como a Via Varejo utiliza a tecnologia para otimizar logística e estoque

 

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.