Mulheres admiráveis que você precisa conhecer

Por: Camila Mendonça 6.487 views

A redação de NOVAREJO e Consumidor Moderno listou mulheres que inspiram e que marcaram por suas histórias e atuação. Leia

cred: Shutterstock

Hoje é o Dia das Mulheres. A data nasceu a partir da luta das mulheres por melhores condições de vida e trabalho nos Estados Unidos e na Europa no final do século 19 e  início do século 20. A ONU instituiu a data como o Dia Internacional da Mulher em 1975. Ao longo desses anos, desde então e bem antes disso, mulheres no Brasil e no mundo se destacaram e se tornaram admiráveis por suas lutas, ações e, principalmente, sua liderança.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Estamos falando de mulheres que fizeram História – ainda que essas histórias sejam pouco conhecidas por muitos. São mulheres reconhecidas por suas ações, posicionamentos e atitudes. A redação de NOVAREJO e Consumidor Moderno escolheu as mulheres que mais admira tendo em vista o contexto e o entendimento de cada um do que é liderança. Infelizmente, não é possível colocar aqui todas as mulheres que admiramos. As que estão listadas apenas formam uma pequena parte daquilo que somos hoje.

Leia também
Maioria dos conselhos de grandes empresas não tem nenhuma mulher

De Aracy de Carvalho a Madonna 

“Parece clichê – eu sei. Mas a verdade é que seria impossível pensar no que eu considero liderança, realização feminina, liberdade de expressão, sabedoria e autonomia sem pensar em quem ela é. Madonna é uma mulher que teve força para enfrentar os mais diversos paradigmas, colocando a liberdade como princípio para mulheres, homens e todos os indivíduos que quisessem falar ou fazer o que bem entendessem com os próprios corpos. Quando ninguém teve coragem de falar sobre sexo, ela falou. Quando ninguém teve coragem de falar sobre a AIDS, ela falou. Em muitas ocasiões, ela foi (e ainda é) a pessoa que me dá força, que me apoia em situações complicadas e polêmicas. Ela me convence de que tudo é possível. Ela é minha líder, mesmo sem saber quem eu sou.”

“Aracy de Carvalho Guimarães Rosa construiu sua própria história no Itamaraty, durante o governo Getúlio Vargas. E o que ela fez de diferente? Aracy ajudou judeus a entrarem no país durante o Holocausto. Foi reconhecida pelo governo de Israel como ‘Justa entre as nações’ – título dado a apenas um outro brasileiro. Israel a enxergou, assim como o Museu do Holocausto (em Washington). A história a enxergou – e continuará enxergando, porque existem outras mulheres, como eu, que não permitirão que a trajetória de Aracy caia em esquecimento.”

Melissa Lulio, responsável pelo Portal Consumidor Moderno

Leia também 
Mulher estuda e trabalha mais do que o homem, mas salário continua desigual

De Margaret Thatcher a Michelle Obama: lideranças internacionais

“As disruptivas no seu meio e momento são admiráveis. Historicamente, Margaret Thatcher, Golda Meir, Lady Di, Michelle Obama, mais recentemente, pela postura e bandeiras. Empresarialmente, a Anne Wojcicki, do 23andMe; Sheryl Sandberg, do Facebook; Indra Nooyi, da PepsiCo; Angela Ahrendt, VP da Apple Stores.”

Roberto Meir, CEO do Grupo Padrão, que detém NOVAREJO e Consumidor Moderno 

De Zilda Arns a Clarice Lispector: inspirações brasileiras 

“Representatividade e importância precisam de contexto. É preciso analisar a atuação de cada nome em sua atuação nacional (ou mesmo em um bairro, ou isso não é importante socialmente?). Temos tantas mulheres que tem grande importância em nossa história. Historicamente, Maria Quitéria, Clementina de Jesus, Nise da Silveira, Zilda Arns, Chiquinha Gonzaga, Ruth Cardoso, Leolinda Daltro, Nísia Floresta, Zuzu Angel, Clarice Lispector, Dandara, Maria Bonita, Rita Lee, Maria da Penha… Sem contar as empreendedoras, como Ana Fontes, Sônia Hess, Luiza Helena Trajano, Zica Assis, Lênia Luz, Cristina Junqueira.”

Raísa Covre, responsável pelo Portal Consumidor Moderno  

A inspiração pode estar ao seu lado

“Temos Janete Clair, Tarsila do Amaral, Ruth Cardoso, Leila Velez…Temos de olhar por um prisma humanista e não masculino, porque invariavelmente seremos preconceituosos. Aqui mesmo em nossa empresa estamos cheios de lideranças femininas de inegável valor”.

Jacques Meir, diretor-executivo de Conhecimento do Grupo Padrão

Leia também
Maioria das empresas com sócias mulheres está em fase inicial

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.