Longevidade: o investimento que falta ao varejo

Por: Roberta Romão 259 views

Inseridas e informadas, as pessoas da terceira idade podem ser um desafio ou uma solução para varejo. Qual a sua escolha?

Gustavo Candido

Desde 2006, o número de pessoas na terceira idade tem aumentado exponencialmente, o que alterou a pirâmide demográfica brasileira. O problema é que, muitas vezes, o varejo deixa de olhar para esse público de maneira específica e pontual.

O BR Week 2016 abordou o tema Longevidade não como um diferencial, mas como algo que deve se tornar uma área de investimento dos varejistas – e o quanto antes. Para mostrar o motivo disso, a sócia-diretora da Officina Sophia Retail, Valéria Rodrigues, apresentou a pesquisa inédita Senioridade Highlights, desenvolvida exclusivamente para o evento.

De acordo com a pesquisa, 37% das pessoas na terceira idade ainda trabalham como autônomos ou CLT para complementação de renda; 47% têm aposentadoria do INSS.

Perfil atitudinal

Deixando a vida 3% – não tem esperança pelo que vem
Levando a vida 25% – leva a vida do jeito que da
Curtindo a vida 72% – vive intensamente buscando qualidade de vida.

Gastos mensais

*50% comprometido com supermercado e moradia;

*18% saúde;

*9% tecnologia – internet, celular e TV por assinatura.

Independentemente da classe social, quase 50% consegue guardar dinheiro todo mês.

O que eles mais avaliam ao escolher uma loja:

*Preços visíveis nas etiquetas e gôndolas;

*Preço baixo;

*Atendentes atenciosas no caixa;

*Estacionamento com vagas;

*Localização;

*Forma de pagamento diferenciada para melhor idade.

Características da loja ideal

*Atendentes treinados para dar informações de formas simples;

*Etiquetas com letras maiores;

*Ar condicionado com temperatura agradável;

*Programas de fidelidade exclusivos para a melhor idade;

“Eles querem ser tratados como um consumidor das gerações mais jovens”, afirma Valéria Rodrigues.

A executiva conta que 57% declara que ir ao supermercado é um passeio. “Isso faz com que exista um padrão de compra diferenciado, porque, além disso, 71% declaram fidelidade às marcas e 76% declaram que ficam atentos às promoções das marcas preferidas”.

Mercados preferidos

*Mercado de bairro;

*Extra;

*Carrefour;

*Pão de Açúcar.

“72% compram eletrodoméstico ou eletrônico apenas quando quebram. Eles afirmam que são ‘do tempo em que as coisas eram feitas para durar’”, conta a executiva.

Lojas preferidas

*Casas Bahia;

*Magazine Luiza;

*Ponto frio;

Lojas de vestuário

*Renner;

*Lojas de bairro;

*Lojas americanas

Farmácia

*Ultrafarma;

*Drogasil;

*Drogaria de bairro

Para 85% deles, a farmácia é uma obrigação.

Internet

*91% já realizam compras via internet;

*74% pretendiam realizar novas compras nos próximos três meses

Categorias das compras realizadas via internet

*Eletroeletrônico/eletrodoméstico;

*Roupas/sapatos/bolas;

*Livros/DVDs/CDs;

Principal hábito na internet

*Ler noticias;

*Pesquisa de preço no site das lojas;

*Conversar com amigos redes sociais

“Sete entre dez utilizam a internet para buscar preços e as mulheres são as mais ativas nas redes e com os equipamentos móbile”, afirma Valéria Rodrigues.

Segundo ela, os maiores desafios para o varejo no cenário Terceira Idade são:

*Não desprezar

“Cerca de 50% consegue dispor para a poupança todo mês, não só para emergências, mas também para viagens”.

*Não rotular

“Eles são consumidores com demandas semelhantes às dos jovens, com alguns pontos específicos”.

*Não subestimar a capacidade de adaptação

“Eles Já estão inseridos no universo online”, finaliza Valéria Rodrigues.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.